Práticas curriculares do Ensino Fundamental em contextos de inclusão escolar como objeto de estudo

Vol3,2018 - 93578
Comunicação Oral
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Este trabalho tem por objetivo apresentar uma pesquisa de Mestrado que teve por finalidade investigar movimentos curriculares nas salas de aula do Ensino Fundamental, procurando indicativos de adaptação, flexibilização ou diferenciação curricular no Ensino Fundamental, em escolas de Itajaí – SC e Florianópolis – SC, com foco nos alunos com deficiência intelectual. Essa dissertação é resultado da participação das pesquisadoras no projeto de pesquisa intitulado “Escolarização de alunos com deficiência intelectual”, que teve por objetivo examinar os processos de escolarização dos alunos com deficiência intelectual na educação básica. O referencial teórico da dissertação foi baseado em autores como Goodson (1995; 2013), Sacristán (2000), Young (2007; 2013) e autoras que discutem currículo e inclusão do público-alvo da Educação Especial, Lunardi-Mendes (2005; 2008), Lunardi-Mendes e Silva (2014) Mesquita (2009), Pletsch (2009). O caminho metodológico da dissertação de mestrado se deu por meio de pesquisa documental, a partir de vídeos que registravam aulas de Língua Portuguesa e Matemática no Ensino Fundamental, analisando a participação do aluno com deficiência intelectual na sala de aula. Os resultados da pesquisa evidenciaram que os movimentos curriculares dentro da sala de aula regular acontecem mais na forma de adaptação de uma atividade específica para o aluno com deficiência intelectual do que uma mudança no currículo total da sala de aula.

Instituições
  • 1 Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Eixo Temático
  • 10. Diferenciações curriculares
Palavras-chave
Práticas Curriculares. Currículo. Diferenciação curricular