PIRÓLISE LENTA DE CASCA DE CACAU [2]

Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Detalhes
  • Tipo de apresentação: Trabalho
  • Eixo temático: TECNOLÓGICAS
  • Palavras chaves: Biochar; Bioenergia; Cacauicultura;
  • 1 E. E. JARDIM ROSSIN
  • 2 Unicamp
  • 3 E. E. FRANCISCO GLICÉRIO
  • 4 E. E. PROF. CARLOS ALBERTO GALHIEGO
  • 5 E. E. CULTO À CIÊNCIA
  • 6 E. E. PROF. BENEVENUTO TORRES
  • 7 Universidade Estadual de Campinas

PIRÓLISE LENTA DE CASCA DE CACAU [2]

ANA PAULA FERREIRA DA SILVA

E. E. TENISTA MARIA ESTHER ANDION BUENO

Resumo

O objetivo da pesquisa foi realizar uma revisão bibliográfica da pirólise da cacau que tem grande potencial para ser explorada como fonte energética no Brasil, apresentando o seu processo, produtos e possíveis aplicações. Foi realizada uma revisão bibliográfica sistemática sobre a pirólise da casca de cacau utilizando as bases de dados: Google Acadêmico, Science Direct e Scielo; com as palavras-chaves: Pirólise, Pirólise Lenta, Cacau, Biochar e Biomassa, em português e inglês, não sendo limitado o período (anos) para a busca. Realizou-se a comparação do biochar com carvões de outras biomassas quanto ao seu poder calorífico, utilização como fonte energética e biofertilizante. Concluímos que o Biochar do cacau possui potencial de uso como biofertilizante. Além disso, a casca de cacau apresenta potencial para conversão energética levando em conta seu baixo teor de cinzas e umidade, e poder calorífico dentro do desejado para fontes energéticas. O projeto do PIBIC-EM nos proporcionou tanto conhecimento quanto experiências sociais dentro do grupo. Tivemos a oportunidade de vivenciar mais de perto a ciência e a pesquisa, e mesmo com as limitações causadas pela pandemia conseguimos realizar experimentos caseiros, aprender mais sobre o método científico, conhecer algumas propriedades químicas e físicas dos materiais biológicos, aprender técnicas de apresentação em público, construção de slides, escrita acadêmica, entre outros.

Apoio/Financiamento da Pesquisa: PIBIC-em/CNPq

Questões (1 tópico)

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Autor

DERIK CALEU DOS SANTOS SILVA

Boa tarde, Alyson! A pirólise rápida tem como produto principal o bio-óleo, isto é, o mesmo é obtido com maior qualidade e rendimento, em comparação com a pirólise lenta, que tem como produto principal o biochar (fração sólida). Sendo assim, seria indicado a pirólise lenta para a obtenção do biochar, pois nela o mesmo teria melhor qualidade e rendimento.
Em termos de diferenças tecnológicas entre as plantas, há plantas em que é possível realizar a pirólise lenta e a pirólise rápida, e nesses casos o que varia são os parâmetros operacionais como: tempo de residência (Pirólise rápida: tempos curtos; Pirólise lenta: mais longos), taxa de aquecimento, temperatura (P. Rápida: Altas temperaturas; P. Lenta: temperaturas mais baixas), etc. E dependendo de qual produto você tem mais interesse (biochar, bio-óleo ou bio-gás) tem-se as variações desses parâmetros que podem otimizar o processo e a qualidade dos produtos. Em termos financeiros, seria necessário um estudo mais detalhado da viabilidade econômica, afim de verificar as diferenças entre os processos para geração de biochar de cacau.