79015

AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO HEPÁTICA DE LET7 E LIN28 NA PROLE DE MÃES OBESAS ALIMENTADAS COM DIETA CONTROLE DURANTE A GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Favoritar este trabalho

Responsável por mudanças herdáveis na função dos genes sem que haja alteração na sequência do DNA, a epigenética é capaz de explicar a programação metabólica, a qual aponta que sobrecarga nutricional durante a gestação e a lactação está relacionada à desordens metabólicas não apenas à geração exposta ao estímulo, mas também às gerações seguintes. Um dos mecanismos epigenéticos bastante estudados é a expressão de microRNAs. Objetivando caracterizar parâmetros metabólicos e avaliar a expressão de Let-7 e miR-122 no fígado da 2ª geração (F2), realizou-se a divisão de fêmeas (F0) Swiss em 2 grupos, de acordo com a dieta: controle (DC) ou hiperlipídica (DH). O grupo DH foi subdividido de acordo com o ganho de peso: resistentes (OR) ou propensas (OP) à obesidade. Após a concepção, a prole F1 foi alimentada apenas com DC até originarem a F2, também alimentada apenas com DC. A prole F2 não apresentou diferenças no peso corporal mas tanto a glicemia de jejum quanto a deposição de gordura hepática encontraram-se aumentadas nos animais procedentes de avós OP. Além disso, houve uma tendência ao aumento de Let-7 e diminuição de miR-122 hepáticos na prole F2-OP. Conclui-se que a sobrecarga nutricional durante a gestação e lactação é capaz de provocar prejuízos metabólicos que perduram até a geração F2 e que estes podem ser desencadeados, pelo menos em partes, pela modulação de microRNAs hepáticos, como miR-122 e Let-7.