Activity Feed

Follow the main updates and discussions about the papers published in XIV SO 2020!

All activities (50)
Other

Eduardo Salustiano Jesus dos Santos and 1 other person replied to the topic "Dúvidas gerais"

Publication: CARDIOPROTECTION EFFECTS OF EUTERPE OLERACEA (AÇAÍ) EXTRACT ON THE FAC-D PROTOCOL IN EXPERIMENTAL BREAST CANCER

Parabéns ao grupo. Pude ler o outro trabalho e vejo que o açaí está na linha de frente das pesquisas de vocês! Algumas dúvidas:

1 - Como foi o processamento do açaí? A totalidade da fruta foi macerada, filtrada e diluída em salina ou alguma parte foi descartada? Os valores correspondem às doses totais ou a concentração administrada em cada tratamento? Como se chegou a esse valor de 200 mg/kg? Poderia ser feito algum paralelo com o consumo por humanos?

2 - Uma complicação associada à progressão tumoral é a caquexia, que tem relação direta com inflamação e cujo perfil é agravado com a toxicidade da quimioterapia. Após 3 semanas, o perfil de peso dos animais parece estar no ponto mínimo, e o efeito do açaí parece mais claro nas semanas seguintes. Além disso, talvez haja relação com a redução da liberação de CK. Existe alguma observação de vocês que siga nessa direção?

3 - Qual seria a forma proposta para um possível paciente consumir o açaí? In natura, em cápsulas? O grupo acredita no açaí como um todo ou que exista um composto, um polifenol, uma antocianina que seja o grande responsável pelos efeitos observados? Muito obrigado!

Other

Eliane Gouvêa de Oliveira-Barros replied to the topic "Pergunta"

Publication: CRUDE EXTRACT OF FRUITS OF BONNETIA sp. ALTERS CELL CYCLE OF BREAST CANCER CELLS

Oi Nathália, tudo bem?

Primeiramente, parabéns pelo trabalho e pela clareza da sua apresentação no vídeo! Gostaria de aproveitar a oportunidade para entender melhor alguns pontos.

Esse trabalho se propõe a buscar novos candidatos a fármacos a partir de moléculas ativas presentes em produtos naturais para o tratamento do adenocarcinoma de mama, com menos efeitos colaterais ou reações adversas. O efeito do extrato bruto da planta Bonnetia sp (ordem Malpighiales) foi avaliado nas linhagens celulares MDA-MB-231, MCF-7 e 4T1 sendo evidenciado o efeito citotóxico desse extrato bruto.

1 – Agradeço pela resposta bastante completa que você colocou no chat pois ela sanou boa parte das minhas dúvidas.

2 - Gostaria de pedir, por gentileza, que você comente qual o seu envolvimento nos experimentos realizados.

3 – A cultura tridimensional se mostra um dos melhores modelos in vitro para mimetizar o microambiente tumoral. Comparações de culturas de esferoides com culturas em monocamadas demonstram diferenças funcionais em diversas linhagens celulares tumorais. Vocês já pensaram em avaliar os efeitos do extrato em culturas 3D?

Other

Carlos Luan Alves Passos and 1 other person replied to the topic "Dúvidas"

Publication: OXYRESVERATROL INDUCES APOPTOSIS VIA CASPASE-3 IN MDA-MB-231 BREAST CANCER CELLS

Carlos,

A sua apresentação foi bem clara e objetiva. Parabéns. O seu trabalho aborda um tema crescente de pesquisa que são os derivados de plantas como promissores candidatos no desenvolvimento de novas terapias antineoplásicas. Tenho algumas dúvidas acerca do seu trabalho:

1 – Você utilizou duas linhagens de câncer de mama (MCF-7 e MDAMB231) representativas de subtipos distintos. E a linhagem luminal (MCF-7) apresentou maior sensibilidade e também um melhor índice de seletividade. Por que seguiu os ensaios subsequentes com a linhagem triplo-negativa?

2 – Você utilizou como controle no ensaio de viabilidade celular as células não tratadas ou tratadas com DMSO? E na figura da microscopia precisa indicar a % de DMSO utilizada.

3 – Como você explicaria a diferença encontrada nos ensaios avaliando CASPASE-3? Nota-se uma maior expressão de CAPASE-3 no ensaio de qPCR quando a célula é tratada com OXY e não notamos diferença no western-blot quando comparamos com DMSO ou DOX. E também há uma maior intensidade de fluorescência nas células tratadas com DOX e não observamos essas diferenças no western-blot.

4 – Na sua opinião os ensaios avaliando a expressão de CASPASE-3 total são os melhores métodos para avaliar a apoptose? Por que não utilizou a clivagem da CASPASE-3?

Other

Nathalia Alexia Nascimento dos Santos and 2 other people replied to the topic "Avaliação de pòster"

Publication: CRUDE EXTRACT OF FRUITS OF BONNETIA sp. ALTERS CELL CYCLE OF BREAST CANCER CELLS

Boa tarde , Nathalia. Meu nome é Flavia e vou avaliar seu pôster. Parabéns pelo seu trabalho. Os questionamentos da Giselle Lopes foram muito interessantes e sua respostas responderam além do que eu gostaria de saber. Parabéns. O teste em células não tumorais é imprescindível para a continuidade do estudo. Gostaria de lhe dar uma dica. Altere a forma de representação dos dados de ciclo celular, pois não favorece seus dados. Talvez usar gráfico do tipo empilhamento. Chamou a minha atenção o alto percentual de células com hiper ploidia em todas as linhagens. Algum comentário na literatura ou foi uma questão de análise? abraços Flavia 

Other

Nathalia Meireles replied to the topic "Avaliação Poster"

Publication: EVALUATION OF THE IMMUNE SIGNATURE IN RESPONSE TO CHEMOTHERAPY IN PYMT MICE

Em primeiro lugar, parabéns pelo trabalho! Agora vamos às perguntas: Como vc acha que a ordem dos quimioterápicos empregados poderia modular a resposta imune ou a interação com o sistema imune? Qual é o embasamento teórioc para a pergunta o seu projeto? Qts animais em cada grupo vc terá? A divisão entre tumores iniciais e avançados será baseada apenas no tamanho dos mesmos? Ou vcs vão avalia-los tb histologicamente e ver a expressão dos marcadores para confirmação? Fique na dúvida qt a um dos seus próximos passos: como será feita a definição dos biomarcadores? O que será avaliado?

Other

Sara Santos Bernardes and 1 other person replied to the topic "Pergunta"

Publication: CYTOTOXIC POTENTIAL OF SYNTHETIC SUBSTANCES NAPHTHOQUINONES WITH ACRIDINE IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA

Parabéns pelo trabalho! O delineamento e a apresenação dos dados está clara e objetiva. Entendo que é um screening inicial para avaliar a citotoxicidade da droga, porém como o MTT avalia a atividade/viabilidade mitocondrial, seria interessante vocês terem realizado outros testes, como viabilidade celular com azul de tripan ou células viáveis com coloração por cristal violeta. Esses testes chegaram a ser realizados?

Outra pergunta é: vocês pretendem testar essa droga in vivo, enxertando essas células de CCE em camundongos imunossuprimidos, ou em outros modelos experimentais de câncer, como por exemplo, melanoma murino com células B16F10 e câncer de mama murino com células 4T-1?

 

Obrigada

Other

Sara Santos Bernardes replied to the topic "Pergunta"

Publication: Usual profile of methotrexate and folinic acid in a hematological ward of a pediatric and public hospital.

Olá Ana, boa tarde!

Primeiramente, gostaria de parabenizá-la pela apresentação do trabalho. O conteúdo do vídeo está bastante claro. Segundo, gostaria de fazer uma pergunta em relação ao resumo: o que significa a sigla CNS? Terceiro, gostaria de entender melhor a relevância do trabalho: a intenção era avaliar o funcionamento de um protocolo já estabelecido ou avaliar a conduta frente aos resultados dos níveis séricos de MTX e de creatinina?

Obrigada

Other

Ana Luísa Melo de Oliveira replied to the topic "Critérios para definição de doses e avaliação da depuração"

Publication: Usual profile of methotrexate and folinic acid in a hematological ward of a pediatric and public hospital.

Olá, Ana.

Eu não sei se não entendi bem a forma como você fez suas avaliações. Pelo que entendi, foram 17 crianças avaliadas, correto?.

Primeiramente, eu gostaria de entender como foi feita a definição de dose individual e se a dose individual poderia variar ao longo do tratamento. Em caso positivo, quais são/foram as razões para variação ou ajuste de doses?

Em relação aos gráficos, a avaliação de níveis plasmáticos do MTX e de creatinina está apresentada em função do valor das doses, é isso? O quadro descreve o número de doses para cada valor, mas não fica claro quantos ou quais pacientes receberam cada dose. Houve variabilidade de dose para cada paciente ao longo do tratamento? Essa pergunta tem repercussão na interpretação do gráfico. Por exemplo, há um nível alto de MTX para a dose de 4g após 36h. Esse dado corresponde a um único indivíduo? Esse é um valor médio de várias observações? A legenda do gráfico poderia ser mais detalhada.

Por fim, como você interpreta ou a que você atribui esses valores altos? É uma variabilidade individual? Alguma causalidadepôde ser inferida?

 

Other

Isabella Guimarães and 1 other person replied to the topic "Dúvidas"

Publication: TUBASTRAEA COCCINEA IN GLIOBLASTOMA TREATMENT STRATEGY

Danielle,

Gostei da sua apresentação e, apesar de estar no início do projeto, o trabalho tem muita relevância pois trata-se de dois assuntos importantes: glioblastoma (câncer agressivo, letal e resistente às terapias atuais); e o crescente interesse em se estudar biofármacos que possam vir a ser considerados novas terapias farmacológicas.

Tenho algumas perguntas acerca dos seus resultados e algumas dúvidas sobre os ensaios que você irá desenvolver.

1 – Você mencionou no vídeo que foi realizado o ensaio de viabilidade celular em linhagem de fibroblastos, entretanto esse resultado não é mostrado no pôster. E seria bem interessante mostrar esse dado para podermos comparar a seletividade do seu extrato. Além disso, diversos trabalhos também abordam o índice de seletividade que pode também ser relevante no seu estudo.

2 – No gráfico de viabilidade existe uma diferença de resposta entre as duas linhagens de glioblastoma frente ao tratamento com o extrato. Você tem uma ideia do motivo dessa maior sensibilidade da U251?

3 – Gostaria que você me explicasse como foi realizado o ensaio de viabilidade celular.

4 – No resumo tem uma informação sobre o ensaio citostático realizado através de citometria de fluxo. E não observei esses dados no pôster. Poderia comentar sobre ele?

5 – Como pretende realizar o ensaio com culturas 3D?

6 – Como será realizado o ensaio in vivo? Como você irá administrar os seus extratos?

Other

Rafaela Ramos de Oliveira dos Santos and 2 other people replied to the topic "Dúvida "

Publication: EVALUATION OF THE ROLE OF ALLANTOIN IN DRUG RESISTANCE IN LEUKEMIA

Qual o mecanismo pelo qual a cisplatina age em células de leucemia diminuindo sua viabilidade? Como a alantoína pode estar interferindo na morte induzida pela cisplatina?

Other

Rafaela Ramos de Oliveira dos Santos and 1 other person replied to the topic "Dúvida sobre a alantoina"

Publication: EVALUATION OF THE ROLE OF ALLANTOIN IN DRUG RESISTANCE IN LEUKEMIA

Olá Rafaela, parabéns pelo trabalho! Uma dúvida: a alantoina tem algum papel fisiológico? Qual o mecanismo de ação dela?

Other

Rafaela Ramos de Oliveira dos Santos and 1 other person replied to the topic "Outra dúvida"

Publication: EVALUATION OF THE ROLE OF ALLANTOIN IN DRUG RESISTANCE IN LEUKEMIA

Seria possível testar a interferência da alantoína sobre o efeito da cisplatina in vivo? Existem modelos? Como você faria isso?

Other

Elaine da Conceição Petronilho replied to the topic "Ácidos graxos"

Publication: MARINE ASCIDIAN DIDEMNUM SP. COMPOUNDS CITOTOXICITY FOR HUMAN GLIOBLASTOMA CELLS

Nas suas perspectivas vocês pretendem extrair e analisar alcalóides e ácidos graxos da Didemnun sp. Os alcalóides são conhecidos na literatura por suas atividades biológicas e químicas. Qual atividade vocês esperam ver em relação aos ácidos graxos? Por que analisar este tipo de composto frente ao GBM?

Other

Giselle Pinto de Faria Lopes and 1 other person replied to the topic "Comparação com composto padrão"

Publication: MARINE ASCIDIAN DIDEMNUM SP. COMPOUNDS CITOTOXICITY FOR HUMAN GLIOBLASTOMA CELLS

Qual o controle utilizado? Usaram algum composto padrão que possua um IC50 considerado efetivo para essas células testadas ou só compararam com a literatura? Caso tenha sido por comparação, qual o resultado obtiveram? 

Other

Danielle da Silva Fraga Gomes and 1 other person replied to the topic "metodologia do projeto"

Publication: TUBASTRAEA COCCINEA IN GLIOBLASTOMA TREATMENT STRATEGY

Olá Danielle! tudo bem? 

realmente essa pandemia no início do doutorado esta sendo bastante desafiador para você né? parábens pelo vídeo, gostei bastante.

Gostaria que você me explicasse, por favor, qual tipo de atividade neuromoduladora você pretende testar em esferóides? quais moléculas e/ou vias serão avaliadas e qual motivo?

Other

Giselle Pinto de Faria Lopes and 1 other person replied to the topic "Dúvidas"

Publication: MARINE ASCIDIAN DIDEMNUM SP. COMPOUNDS CITOTOXICITY FOR HUMAN GLIOBLASTOMA CELLS

Boa tarde, Bianca. Parabéns pelo trabalho.

Dúvida 1) você mencionou que o extrato bruto não teve nenhuma toxicidade em fibroblastos. Que dados são esses? Por que eles não foram mostrados? Eles já existem ou você ainda pretende fazer? Isso não ficou claro pra mim

Dúvida 2) Na metodologia você diz que "o ciclo celular foi avaliado por citometria de fluxo". Também menciona a coloração com DAPI. Qual a intenção da coloração com DAPI? E mais importante, onde estão esses dados?

Dúvida 3) Você menciona como objetivo futuro fazer experimentos in vivo com compostos isolados. Imagino que depois de caracterizar quais compostos tem atividade citotóxica. Considerando que isso já tenha sido feito, como vc pretende fazer os experimentos in vivo? Já sabe qual modelo irá usar?

Other

Lucas Nicolau de Queiroz replied to the topic "Compostos ativos"

Publication: PHYTOCHEMICAL CHARACTERIZATION AND SELECTIVITY EVALUATION OF THE EQUISETUM HYEMALE IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA

Parabéns pelo trabalho! Muito interessante. Você pode me explicar como funciona o teste de MTT e por que você acha que as frações em acetato de etila obteve a maior atividade citotoxidade? Você tem ideia da classe de compostos extraídos por esse solvente?

Other

Rafaela Ramos de Oliveira dos Santos replied to the topic "Dúvida"

Publication: EVALUATION OF THE ROLE OF ALLANTOIN IN DRUG RESISTANCE IN LEUKEMIA

Olá, Rafaela! Parabéns! Seu trabalho é muito interessantes. Algumas dúvidas minhas já foram sanadas aqui no chat através de outras pessoas. Gostaria de saber como você pretende investigar efeitos da alantoína em células leucêmicas sensíveis e resistentes. Obrigada!

Other

Cassiana De Carli replied to the topic "Nanoformulações"

Publication: MARINE BIOTECHNOLOGY AS A NEW APPROACH TO SKIN CANCER THERAPY

Essas nanoformulações já foram testadas previamente? Se sim, como?

Other

Amanda Vieira Ribeiro and 1 other person replied to the topic "Mecanismo de ação"

Publication: Determination of anti-tumor activity of naphthoquinone-triazole-coumarin hybrids for possible treatment of Oral Squamous Cell Carcinoma

Parabéns pelo trabalho! Muito interessante. Gostaria de saber se vocês já realizaram outros estudos para entender o mecanismo de ação desses compostos mais promissores. Por que vocês acham que são melhores olhando pra estrutura deles.

Other

Flavia Vasconcelos replied to the topic "Avaliação de Pôster"

Publication: ANTITUMORAL EFFECT OF DIBUTILPHOSPHONATES ON BREAST CANCER CELLS

Boa tarde, sou Flavia Vasconcelos e irei avaliar seu pôster.

Por favor, responda algumas questões

1- os dibutilfosfato são utilizados na clínica para o tratamento de alguma doença?

2- Os compostos foram dissolvidos em qual reagente? DMSO ou diretamente em meio de cultura?

3- Qualo racional para a utilização de dois ensaios para cálculo de IC50?

4- Não foi explicado o porquê da utilização apenas 2 dos 5 compostos.

5- Sugiro testar os compostos em células não neoplásicas de mama e em células de sangue periférico de indivíduos saudáveis a fim de avaliar a toxicidade dos compostos 

6- Acho que vocês poderiam, além de investigar o efeito dos compostos, investigar o mecanismo de ação. Talvez seja interessante não descartar a ausência de efeito dos compostos na MDA (tripplo negativa)

7- qual a sua participação em todos os experimentos?

Other

Amanda Vieira Ribeiro replied to the topic "Dúvidas"

Publication: Determination of anti-tumor activity of naphthoquinone-triazole-coumarin hybrids for possible treatment of Oral Squamous Cell Carcinoma

Olá Amanda, parabéns pelo trabalho! Ótimo poster, muito bem construído.

Algumas dúvidas:

1) Vc não viu a formação de núcleos picnóticos nem de geração de ROS, mas viu ativação de Caspase 3. Qual deve ser o mecanismo molecular envolvido na perda de viabilidade/morte? O que vc pretende avaliar em seguida?

2) Gostaria de saber mais um pouco de como foi o processo de criação dessas 9 moléculas testadas, se há algo descrito para moléculas desta classe em termos de toxicidade, mesmo que em outros modelos. Além disso, vocês já tem alguma ideia do mecanismo de ação dessas moléculas sintéticas que vocês produziram?

3) Qual a diferença entre as linhagens SCC4, 9 e 25? Que linhagens de fibroblastos foi utilizada? São imortalizados?

Other

Eliane Gouvêa de Oliveira-Barros and 1 other person replied to the topic "Pergunta"

Publication: ANTITUMORAL EFFECT OF DIBUTILPHOSPHONATES ON BREAST CANCER CELLS

Olá Caroline, boa tarde!

Primeiramente, parabéns pelo trabalho e pela clareza da sua apresentação no vídeo! Gostaria de aproveitar a oportunidade para entender melhor alguns pontos.

Esse trabalho se propõe a buscar novos candidatos a fármacos para o tratamento do adenocarcinoma de mama, com menos efeitos colaterais ou reações adversas. Foram testados uma série de “"dibutylfsphofonates” e também seus derivados em modelos 2D e 3D de cultura de células MCF-7 e MDA-MB231. Na linhagem MCF-7, os cinco compostos mostraram significativa atividade citotóxica e todos os experimentos foram realizados exclusivamente com esta linha celular.

1 – Gostaria de pedir, por gentileza, que você comente qual o seu envolvimento nos experimentos realizados.

2 – Gostei muito do desenho experimental de vocês. A cultura tridimensional realmente se mostra um dos melhores modelos in vitro para mimetizar o microambiente tumoral. Além disso, comparações de culturas de esferoides com culturas em monocamadas demonstram diferenças funcionais em diferentes linhagens celulares tumorais. Vocês chegaram a avaliar os efeitos citotóxicos dos “dibutylfsphofonates” sobre a linhagem celular MDA-MB231 (triplo negativa) em modelo 3D?

Other

Mariana Acquarone de Sá Lopes and 1 other person replied to the topic "escolha do modelo in vivo "

Publication: TUBASTRAEA COCCINEA IN GLIOBLASTOMA TREATMENT STRATEGY

ainda na metodologia, gostaria que você falasse do motivo da escolha do zebrafish como modelo in vivo para seu projeto. Quais seriam as vantagens e desvantagens desse modelo? claro que seu composto é de origem marinha, mas o objetivo é testar em tumor humano, por isso a minha pergunta sobre o modelo.

Other

Lucas Nicolau de Queiroz replied to the topic "Dúvidas"

Publication: PHYTOCHEMICAL CHARACTERIZATION AND SELECTIVITY EVALUATION OF THE EQUISETUM HYEMALE IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA

Boa tarde, Lucas. Parabéns pelo trabalho. Achei muito interessante.

Algumas dúvidas:
1) Qual a diferença entre as linhagens SCC4, 9 e 25? Elas tem a mesma mutação? São derivadas de pacientes com doenças do mesmo grau?

2) Qual a importância de quantificar fenóis e flavonóides?

3) Qual a sua hipótese para explicar essa aparente contradição entre o fato do ácido azelaico ser o principal candidato a mediar o efeito citotóxico (por ser a única molécula presente unicamente em um dos extratos), mas ao mesmo tempo, ao ser purificada, apresentou IC50 maior?

4) Era esperado que o PBS causasse hemólise e a carboplatina não?

Other

Michele Pereira de Souza replied to the topic "Parabéns pela apresentação e pelo trabalho"

Publication: ANTITUMOR EVALUATION IN VITRO OF NAPHTHOQUINONES MANNICH BASES FOR POSSIBLE TREATMENT OF OSCC

Apesar do screening inicial ter sido feito com várias linhagens, nas análises funcionais vcs utilizaram apenas uma única linhagem. Logo, em sua visão os resultados não poderiam ser considerados “linhagem específico”?

Acha que seria interessante realizar a análise da liberação de LDH como uma forma de avaliar o potencial citotóxico da droga, inclusive o processo de necrose, que foi demonstrado por um ensaio não específico (morfológico)?

A indução de necrose e não apoptose, poderia ser um fator negativo associado ao uso do MB10?

 

Acha que seria interessante realizar a análise da liberação de LDH como uma forma de avaliar o potencial citotóxico da droga, inclusive o processo de necrose, que foi demonstrado por um ensaio não específico (morfológico)?

 

A indução de necrose e não apoptose, poderia ser um fator negativo associado ao uso do MB10?

Other

Rafaela Ramos de Oliveira dos Santos and 1 other person replied to the topic "Figura 4"

Publication: EVALUATION OF THE ROLE OF ALLANTOIN IN DRUG RESISTANCE IN LEUKEMIA

Na Figura 4, você avaliou o potencial de membrana mitocondrial. Primeiramente, o que é esse parâmetro? Por que ele é importante? 

Outra dúvida: as imagens de microscopia mostram "fluoresência verde" e "fluorescência vermelha". isso não está claro. O que está sendo marcado? Quais são as sondas vermelhas e verdes?

Other

Anna Carolina Carvalho da Fonseca and 1 other person replied to the topic "Pergunta"

Publication: MOLECULAR MECHANISM OF ACTION OF NEW 1,4-NAPHTHOQUINONES TETHERED TO 1,2,3-1H-TRIAZOLES WITH CYTOTOXIC AND SELECTIVE EFFECT AGAINST ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA

Boa tarde, Anna!
Parabéns pelo trabalho! Gostaria de saber qual foi o inibidor de caspase que usou no seu ensaio.

Obrigada

2 persons favorite the paper "EVALUATION OF THE ANTITUMOR ACTIVITY IN VITRO AND IN VIVO OF THE PIPER CERNUUM PLANT IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA CELLS (OSCC)"

Other

Thaíssa Queiróz Machado replied to the topic "Dúvidas "

Publication: EVALUATION OF THE ANTITUMOR ACTIVITY IN VITRO AND IN VIVO OF THE PIPER CERNUUM PLANT IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA CELLS (OSCC)

Oi, Thaíssa!

Parabéns pelo trabalho e pela apresentação!

  • É possível observar metástase nesse modelo de indução de OSCC com 4 NQO? Se sim, vocês avaliaram se o PCDF reduz a formação de metástase?
  • Seria possível pensar na associação do PCDF com o quimioterápico que já é usado no tratamento de pacientes com OSCC? Vocês chegaram a fazer experimentos com essa abordagem?
  • Em relação aos animais "4NQO+ PCDF" usados na avaliação da curva de sobrevida, após o término do tratamento com o PCDF o tumor retoma o crescimento rapidamente?


 

Other

Mariana Emerenciano replied to the topic "Avaliação do pôster"

Publication: MOLECULAR MECHANISM OF ACTION OF NEW 1,4-NAPHTHOQUINONES TETHERED TO 1,2,3-1H-TRIAZOLES WITH CYTOTOXIC AND SELECTIVE EFFECT AGAINST ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA

Boa tarde, Anna Carolina.

Parabéns pelo seu trabalho e apresentação dos dados.

O efeito citotóxico das naftoquinonas já foi demonstrado para quais tipos de câncer?

Comparando com estes outros estudos, qual é o grau de citotoxicidade que vocês esperariam encontrar e que seria aceitável para propor como nova droga a ser usada neste tipo de câncer?

Obrigada e sucesso na condução do trabalho.

Abraços

Mariana Emerenciano

https://www.inca.gov.br/pesquisa/pesquisa-clinica/medicina-molecular/estudo-molecular-do-cancer

1 person favorite the paper "TUBASTRAEA COCCINEA IN GLIOBLASTOMA TREATMENT STRATEGY"

2 persons favorite the paper "MARINE BIOTECHNOLOGY AS A NEW APPROACH TO SKIN CANCER THERAPY"

1 person favorite the paper "MARINE ASCIDIAN DIDEMNUM SP. COMPOUNDS CITOTOXICITY FOR HUMAN GLIOBLASTOMA CELLS "

Other

Roberta Saldanha Gama replied to the topic "TAMs e TANs"

Publication: EVALUATION OF THE IMMUNE SIGNATURE IN RESPONSE TO CHEMOTHERAPY IN PYMT MICE

Olá Mariana, obrigada pela apresentação. Você pretende investigar macrófagos e neutrófilos associados ao tumor (TAMs e TANs) também ou só os linfócitos? E a título de curiosidade, o que caracteriza um cancer de mama precoce de alto risco?  

Other

Carlos Luan Alves Passos and 1 other person replied to the topic "produto natural"

Publication: OXYRESVERATROL INDUCES APOPTOSIS VIA CASPASE-3 IN MDA-MB-231 BREAST CANCER CELLS

Oi Carlos Luan,

tudo bem? Parabéns pelo estudo! Como você mostrou, esse composto está presente nas amoras. Diante disso, você sabe dizer o rendimento desse composto nesse alimento? Você observou o efeito diretamente nas células. Avaliou em outras células sadias e/ou de outros tipos de tumor? Tem idéia do metabolismo desse composto no organismo? Extrapolando para o tratamento, supondo que esse composto demonstre ação in vivo e modelos subsequentes, como você imagina um produto final? Esse já foi sintetizado?

Other

Brenda Graziella Thomaz da Silva replied to the topic "Avaliadora"

Publication: Antitumor Potential of Green Tea (Camellia sinensis) Extract on 3D Breast Cancer Cells

Prezada Brenda Graziella,

 

Parabéns pelo trabalho. Ótima estratégia da cultura em 3D com ambas as linhagens.

Pelos resultados mostrados o extrato de chá verde não modificou a viabilidade celular. Gostaria de saber mais detalhes sobre o extrato usado no trabalho se é etanólico ou aquoso? Se trata-se de um extrato total ou se é uma determinada fração? Além disso, sugiro utilizar outro método para avaliação da viabilidade celular. Se as células estiverem entrando em apoptose você não irá detectar pelo método utilizado.

Obrigada, Juliana Echevarria Lima

Other

Paula Hesselberg Damasco replied to the topic "conclusões"

Publication: MODULATION OF LYMPHOCYTES BY OUABAIN STEROID IN MURINE MELANOMA MODEL (B16F10)

Os autores concluem "Ouabain acts as an immunomodulation and improves the survival of animals with melanoma only in the intraperitoneally injected pre-treated protocol".
Qual a sobrevida dos camundongos que receberam o pré-tratamento de ouabaína no protocolo subcutâneo de implantação das células B16F10? E a sobrevida dos camundongos que foram tratados com ouabaína após o estabelecimento do tumor nos protocolos i.p. e s.c.?

Other

Paula Hesselberg Damasco and 2 other people replied to the topic "ouabaína e linfócitos Th1 e T CD8"

Publication: MODULATION OF LYMPHOCYTES BY OUABAIN STEROID IN MURINE MELANOMA MODEL (B16F10)

O uso de inibidores de checkpoint imunológicos (anti-CTLA4, anti-PD-1 e anti-PD-L1) ganharam grande relevância na terapia antineoplásica, por inibirem esses "freios" imunológicos, estimulando a resposta imune anti-tumoral mediada por linfócitos T.
Uma vez que a ouabaína inibe as funções de linfócitos B e Treg, qual o efeito desse composto sobre outras células imunes, em especial linfócitos T CD8 e Th1?
 

Other

Danielly Ferraz da Costa replied to the topic "Perguntas"

Publication: VISCUM ALBUM ETHANOLIC EXTRACTS: 2D AND 3D CELLULAR ANTITUMOR ACTIVITY AND GLYCOLYTIC PATHWAY MECHANISMS

Prezada Michelle,

parabéns pelo trabalho! Gostaria de saber por qual método vocês desenvolvem a cultura tridimensional de MDA-MB-231 (considerando que essa é uma linhagem que não costuma formar espontâneamente esferoides bem delimitados como os das imagens). Além disso, as atividades enzimáticas (PFK e PK) só foram medidas após 48h de exposição? Qual a explicação para que o efeito tenha sido observado após esse período e não mais precocemente?

Obrigada!

Atenciosamente,

Danielly Ferraz.

Other

Danilo Sousa-Pereira replied to the topic "conclusões"

Publication: HSA INTERACTION AND CYTOTOXIC EFFECTS OF STYRYL-MESOIONIC DERIVATIVES ON ADULT T-CELL LEUKAEMIA/LYMPHOMA ASSOCIATED WITH HTLV-1 INFECTION

Os autores concluem "These promising results suggest that the styryl-mesoionic derivatives may be useful in the future for chemotherapeutic treatment of leukemias/lymphomas infected with the HTLV virus."
Entretanto, a linhagem celular Jurkat (não infectada pelo HTLV) é tão sensível aos compostos mesoiônicos quanto às demais células testadas. Existe, de fato, algum mecanismo ou evidência que demonstre essa seletividade por células infectadas por HTLV? Os autores já testaram esses compostos em outros tipos tumorais e linhagens não-tumorais?

1 person favorite the paper "The use of metformin as adjuvant to reverse allantoin-reduced cytotoxicity of cisplatin in vitro"

Other

Vitor Hugo Luna Rocha de Almeida replied to the topic "mecanismo de ação"

Publication: HSA INTERACTION AND CYTOTOXIC EFFECTS OF STYRYL-MESOIONIC DERIVATIVES ON ADULT T-CELL LEUKAEMIA/LYMPHOMA ASSOCIATED WITH HTLV-1 INFECTION

Qual o mecanismo de ação proposto para estes compostos mesoiônicos, que explique a atividade anti-tumoral?

Other

Mariane Brandão da Silva Assis and 1 other person replied to the topic "Perspectivas in vivo"

Publication: CHEMICAL CHARACTERIZATION AND BIOLOGICAL ACTIVITY OF CERIUM AND IRON-CERIUM OXIDE NANOPARTICLES IN BREAST CANCER CELLS

Boa tarde Mariane,

Parabéns pelo projeto! 

Gostaria de perguntar como vc imaginaria o seu primeiro experimento in vivo para testar as nanoparticulas?

Obrigada!

Other

Danielly Ferraz da Costa replied to the topic "Avaliadora"

Publication: NATURAL TOPICAL STRATEGY THERAPY USING ALGAE COMPOUND NANOENCAPSULATION AND IONTOPHORESIS FOR MELANOMA

Prezado Israel,

Parabéns pela proposta! Muito interessante a sua abordagem, eu não conhecia a técnica de iontoforese. Gostaria de saber se já existem evidências sobre sua eficiência na aplicação cutânea de outras substâncias com potencial antitumoral. Além disso, quais marcadores inflamatórios vocês pretendem analisar?

Obrigada!

Atenciosamente,

Danielly Ferraz.

Other

Vitor Hugo Luna Rocha de Almeida and 2 other people replied to the topic "mecanismo como imunomodulador"

Publication: MODULATION OF LYMPHOCYTES BY OUABAIN STEROID IN MURINE MELANOMA MODEL (B16F10)

A ouabaína é descrita como um inibidor da Na+/K+ ATPase. Qual o mecanismo que explica os efeitos na imunomodulação de linfócitos?

Other

Nathalia Alexia Nascimento dos Santos replied to the topic "extrato bruto"

Publication: CRUDE EXTRACT OF FRUITS OF BONNETIA sp. ALTERS CELL CYCLE OF BREAST CANCER CELLS

Oi Nathalia tudo bem?

Muito legal seu estudo parabéns!!

Quanto ao extrato bruto, vocês já caracterizaram quimicamente? Favoreceu quais grupamentos ao extrair? Tem idéia das classes químicas que poderiam estar dando esse efeito? Queria saber mais sobre o porquê de investir nessa planta em específico. Tem dados na literatura anteiores que mostraram esses efeitos? Quais são os próximos passos?

Att

Giselle Faria Lopes

Other

Thaíssa Queiróz Machado and 2 other people replied to the topic "Análise histológica"

Publication: EVALUATION OF THE ANTITUMOR ACTIVITY IN VITRO AND IN VIVO OF THE PIPER CERNUUM PLANT IN ORAL SQUAMOUS CELL CARCINOMA CELLS (OSCC)

Parabéns Thaíssa pela excelente apresentação. Foi verificado a viabilidade de células sadias na presença de 4NQO + PCDF? Qual foi a via de administração no modelo in vivo de 4NQO + PCDF?

Other

MARIANA TEIXEIRA SANTOS FIGUEIREDO SALGADO and 1 other person replied to the topic "Sugestão"

Publication: IN VITRO AND IN SILICO EVIDENCES OF THE ACTION OF C-PHYCOCYANIN IN MELANOMA CELLS

Boa tarde, Mariana!

Parabéns pelo trabalho. Como em sua apresentação você diz que o C-FC se liga às MMP -2 e -9  e aqui nas perguntas vi que você pretende analisar essas proteínas a nível de RNA e expressão protéica, pensei que talvez seria interessante avaliar a atividade dessas MMPs.

Abraço

Other

Alana Souza replied to the topic "Efeito geral dos inibidores de CDK4/6"

Publication: Development of new combination strategies for fist-line chemotherapy with selective cyclin-dependent kinases (CDK) 4/6 inhibitors in colorectal cancer and glioblastoma

Olá Alana, tudo bem? Gostaria de saber se você ou alguém no mesmo projeto já testou o efeito dos inibidores de CDK4/6 sobre células sadias. Caso já tenha testado, qual foi o resultado? Caso não tenha testado, qual seriam os efeitos esperados?