53094

OBSERVAR BULLYING NA ESCOLA E IMPLICAÇÕES PARA A SAÚDE MENTAL

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

Introdução: O bullying é um grave problema de saúde pública, definido como um tipo de violência que ocorre de forma repetitiva e intencional entre estudantes, sendo marcado pelo desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas (agressores e vítimas). Entretanto, os estudantes que observam situações de bullying na escola são foco de poucos estudos. Objetivo: Evidenciar por meio de uma revisão integrativa da literatura as principais características dos observadores de situações de bullying, bem como o impacto desse tipo de testemunho na saúde mental desses estudantes. Método: Foram lidos os títulos e os resumos de 159 artigos localizados nas bases de dados Web of Science, Eric, CINAHL e PubMed, e na biblioteca Scielo. Desse corpus foram selecionados 65 artigos publicados entre os anos de 2001 e 2016, segundo critérios específicos estabelecidos previamente. Nesse trabalho são apresentados os resultados dessa etapa e se sintetiza a análise crítica dos resumos dos artigos selecionados. Resultados: Todos os estudos selecionados (65) foram publicados em língua inglesa, em periódicos estrangeiros. O único artigo do Brasil identificado na revisão foi excluído por se tratar de um estudo de diagnóstico do bullying nas escolas brasileiras, indicando a prevalência de vítimas, agressores e observadores. Os dados revisados foram organizados em três categorias: 1) Perfil dos estudantes que testemunham situações de bullying; 2) Papéis atribuídos aos observadores de situações de bullying; 3) Questões de saúde. Sugere-se, a partir dos resultados revisados, que observar um colega ser vítima de bullying na escola pode impactar negativamente sobre múltiplos indicadores de saúde mental e no funcionamento psicológico desses estudantes. Foram encontradas explicações possíveis para esse cenário. Por exemplo, estudantes que testemunham o processo de vitimização podem reviver uma experiência própria como vítima de alguma agressão no passado, ou podem se preocupar e supor que também estão vulneráveis para se tornarem vítimas, ou ainda podem sofrer com o conflito interno entre o desejo de ajudar a vítima e a falta de ação prática (apatia). Conclusões: Esse estudo é um disparador para outras investigações que focalizem o que pensam, sentem e fazem os estudantes observadores diante do bullying. Evidenciou-se que a saúde mental desses estudantes também é afetada e seu papel na dinâmica do fenômeno deve ser abordado tanto em novas pesquisas como nas práticas de intervenção.