Favoritar este trabalho

Apresentação/Introdução
O Brasil é considerado o país que mais utiliza agrotóxicos no mundo, o que se configura em um importante problema de saúde coletiva. Muitos resíduos de agrotóxicos se acumulam nos tecidos gordurosos do organismo. Assim, o leite humano, que é rico em gordura e cuja produção depende das mobilizações dos estoques corporais maternos, pode ser considerado um bom indicador de saúde coletiva e ambiental.


Objetivos
Identificar e quantificar os resíduos de agrotóxicos, bem como os fatores associados, no leite de mulheres assistidas no Centro de Atenção Integrada à Saúde da Mulher (CAISM/UNICAMP).


Metodologia
Foram recrutadas e entrevistadas 50 mulheres, mediante aplicação de questionário sociodemográfico, de consumo alimentar, de vulnerabilidade e de segurança alimentar e nutricional. Ademais, foram coletadas amostras de leite e dados antropométricos. As amostras de leite foram analisadas para determinação de teores de carboidratos, proteínas e lipídeos por Ekomilk, bem como determinação de resíduos de agrotóxicos por Cromatografia Gasosa. A partir dos dados antropométricos, calcularam-se a porcentagem de gordura e o índice de massa corporal (IMC). Os dados foram registrados no EpiData e analisados no Excel. Os resultados foram considerados significativos com nível de significância de p

Resultados
Foram detectados ao menos resíduos de dois agrotóxicos em cada uma das amostras de leite coletadas. Os resíduos analisados, bem como o número de mulheres para as quais houve detecção, foram: PP DDT, n=50; Fenitrotion, n=50; Endossulfan, n=24; HCH, n=12; Lindano, n=6; Endrin e Diendrin, n=2; OP DDT, n=1. Não houve correlação estatisticamente significativa entre o teor de PP DTT no leite e a porcentagem de gordura corporal das mulheres (R=-0,020; p

Conclusões/Considerações
Apesar de não terem sido observadas associações entre a composição corporal, o IMC e os teores de resíduos de agrotóxicos no leite humano, a detecção de ao menos dois resíduos em todas as amostras evidencia que o leite humano é um bom indicador de saúde coletiva e ambiental. Mediante tais resultados, destaca-se a importância da determinação dessas substâncias no leite humano para monitoramento, controle e supressão do uso de agrotóxicos.