VULNERABILIDADE SOCIAL E DESFECHOS EM IDOSOS INTERNADOS POR COVID-19 EM CAMPINAS-SP

Vol 2, 2021 - 140704
Pôster Eletrônico - PE09 - Epidemiologia da saúde do idoso (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

OBJETIVOS: Investigar fatores associados à internação na UTI e ao óbito por COVID-19, em idosos residentes no município de Campinas-SP. MÉTODOS: Coorte retrospectiva com base nos dados do SIH-DATASUS de internação de idosos residentes em Campinas. As variáveis independentes foram: sexo, faixa etária, tempo total de internação (> 14 dias) e vulnerabilidade social, segundo o Índice Paulista de Vulnerabilidade social (IPVS). As variáveis dependentes foram internação na UTI e óbito. Foram realizados teste qui-quadrado e regressão logística multivariada. RESULTADOS: Foram obtidas 2.197 hospitalizações, os idosos apresentaram média de idade de 72,6±8,53 com predomínio do sexo masculino (55.6%). Segundo a regressão logística multivariada os idosos com muito baixa vulnerabilidade social apresentaram menor razão de chance para internação na UTI (OR=0,71; IC95%: 0,58-0,87) e maior razão de chance para maior tempo total de internação (OR=6,84; IC95%: 5,40-8,65). Em relação à mortalidade, os idosos com 70 anos ou mais e internação na UTI apresentaram maior razão de chance (OR= 1,90; IC95%:1,52-2,38; OR=9,35; IC95%: 7,38-11,85, respectivamente) e maior tempo total de internação apresentou menor razão de chance (OR=0,63; IC95%:0,48-0,83). CONCLUSÕES: A vulnerabilidade social foi associada à internação na UTI e os idosos com 70 anos ou mais apresentaram maior razão de chance para óbito. Tempo total de internação associou-se aos dois desfechos estudados.

Eixo Temático
  • Epidemiologia da saúde do idoso