PADRÕES DE PERPETRAÇÃO E VITIMIZAÇÃO DE VIOLÊNCIA NO NAMORO: ANÁISE DE CLASSES LATENTES

Vol 2, 2021 - 139886
Comunicação Oral Coordenada - COC 84 - SAÚDE DO/DA ADOLESCENTE 2
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivo: Identificar padrões de vitimização e perpetração de violência no namoro (VN) entre adolescentes. Métodos: Estudo transversal realizado em escolas públicas e privadas do Rio de Janeiro. Participantes foram selecionados por amostragem complexa (n=550). Para VN usou-se a versão brasileira do Conflict in Adolescent Dating Relationships Inventory. A identificação de padrões foi realizada através da Análise de Classes Latentes (ACL) seguindo os seguintes passos: determinar o número de classes latentes (CL) a partir de estatísticas de BIC ajuste; analisar a inteligibilidade da classificação; definir e nomear as classes. Resultados: Foram selecionados os modelos de três classes para todos os subgrupos. Meninas tiveram três padrões distintos de vitimização, quais sejam, ‘Violência emocional e coerção sexual’ (43%); ‘Violência emocional com depreciação e coerção sexual’ (40%); e ‘Violência emocional com depreciação e isolamento, violência física e estupro (17%). Para perpetração, as classes foram ‘Violência emocional’ (34%); ‘Violência emocional com depreciação’ (39%); ‘Violência emocional, coerção sexual e violência física’ (27%). A vitimização de meninos foram: ‘Violência emocional e coerção sexual’ (28%); ‘Violência emocional com depreciação e violência física’ (49%) e ‘Violência emocional com depreciação, violência física e estupro’ (23%). Quanto à perpetração, identificou-se ‘Violência emocional’ (48%); ‘Violência emocional com depreciação e coerção sexual’ (37%); e Violência emocional com depreciação e isolamento, violência física e estupro (15%). Conclusão: As diferenças entre os padrões de violência entre meninos e meninas em suas relações amorosas sugerem que tanto projetos de pesquisa sobre o tema, como ações de prevenção e cuidado busquem as especificidades das situações.

Eixo Temático
  • Epidemiologia da saúde do adolescente