INCIDÊNCIA DE DIABETES EM UMA COORTE DE IDOSOS DO SUL DO BRASIL

Vol 2, 2021 - 140804
Pôster Eletrônico - PE11 - Epidemiologia das doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT) - Diabetes (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivos: Verificar a incidência de Diabetes Mellitus na população idosa do município de Bagé, RS, levando em consideração fatores sociodemograficos e comportamentais associados. Métodos: Estudo de coorte de idosos SIGa-Bagé com primeira coleta de dados em 2008 e localizados novamente e entrevistados em 2016-2017. Foi realizada análise bruta e ajustada através de regressão de Poisson. A análise dos dados foi realizada no programa estatístico Stata 12.0. Resultados: Em 2008, foram entrevistados 1593 idosos, destes, 1.314 (82,5%) foram localizados em 2016-2017, sendo que 757 (47,5%) foram reentrevistados, 579 (36,3%) eram óbitos, 81 (5,1%) recusas e 198 (12,4%) perdas. A prevalência de diabetes em 2008 foi 15,1% (n=241; IC95%: 13,3; 16,8), e em 2016-2017 foi 20,0% (n=147; IC95%:17,1; 22,9). A incidência de diabetes no período foi de 10,0% (n=63; IC95%: 7,6; 12,4). Quanto aos fatores associados, após ajuste para os fatores sociodemograficos e comportamentais os idosos que não tinham companheiros tiveram 67% (IC95%: 0,12; 0,91) menor probabilidade de terem diabetes em comparação com os idosos com companheiros e identificou-se que os idosos com sobrepeso (RI:2,93; IC95%:1,04; 8,24) tiveram um risco quase três vezes maior de desenvolver diabetes, quando comparados aos de baixo peso. Conclusão: A incidência de diabetes foi alta e teve aumento de sua prevalência entre os anos do estudo. Estes achados são fundamentais para a construção de novas medidas a serem adotadas pelos serviços de saúde, profissionais e incremento de políticas de saúde educativas para o Diabetes.

Eixo Temático
  • Epidemiologia das doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT)