EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A CARCINÓGENOS NO BRASIL

Vol 2, 2021 - 142328
Pôster Eletrônico - PE47 - Saúde do trabalhador (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivo: estimar a prevalência das principais exposições ocupacionais consideradas fatores de risco para câncer no Brasil. Métodos: Classificamos sete grupos de exposições como definitivamente, provavelmente ou possivelmente carcinogênica. Dois pares de especialistas realizaram a classificação de atividades e ocupações econômicas em relação à exposição e avaliaram a concordância quanto ao nível de exposição por meio do kappa ponderado. Foram elaborados quatro cenários de exposição considerando a classificação dos agentes e a intensidade da exposição, estratificada por regiões brasileiras e sexo. Resultados: Houve uma excelente concordância geral (94%) entre os pares, bem como uma boa confiabilidade geral (Kappa 0,92, IC 95% 0,89 - 0,95). Em seguida, estimamos a prevalência de grupos de circunstâncias de exposição ocupacional com heterogeneidade de acordo com sexo, região e grupo de exposição. Há diferença para gênero (até 80%, entre poeiras inorgânicas), para as grandes regiões (até 595%, entre o Norte e o Sudeste, par a exposição geral), e diferença importante na descrição de cenários (1170% para solventes, para menor e maior sensibilidade na definição de exposição). Conclusão: A estimativa precisa da prevalência de exposição a fatores cancerígenos ocupacionais permitirá obter estimativas epidemiológicas do impacto da cessação dessa exposição, como a fração atribuível à população. Considera-se, portanto, que os resultados do presente estudo são de grande contribuição para a formulação de políticas de vigilância em saúde para trabalhadores.

Eixo Temático
  • Saúde do trabalhador