CRESCIMENTO CEFÁLICO DE CRIANÇAS COM SÍNDROME CONGÊNITA PELO VÍRUS ZIKA

Vol 2, 2021 - 140317
Pôster Eletrônico - PE06 - Epidemiologia da saúde da criança (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivo: O estudo teve como objetivo avaliar a evolução do perímetro cefálico (PC) de crianças com síndrome congênita pelo Zika Virus (SCZ) nos primeiros anos de vida e identificar fatores associados. Métodos: A informação da medida do PC ao nascimento e mensurada nas consultas médicas de 74 crianças com SCZ foram coletadas em entrevista com os responsáveis e na revisão dos prontuários médicos. Ajustou-se diferentes modelos de efeitos mistos para identificar os fatores associados ao escore-Z do PC. Modelo com menor valor do critério de informação de Akaike (AIC) foi selecionado. Resultados: Resultados: Ao nascimento, 58,1% das crianças apresentavam microcefalia. Com o acompanhamento, houve diminuição do escore-z do PC e um aumento do percentual de crianças microcefálicas.O modelo final, mostra uma redução do escore-z do PC das crianças com atrofia grave do parênquima cerebral e presença de sintomas maternos de infecção no primeiro trimestre gestacional ao longo do tempo. Conclusão: Crianças cujas mães apresentaram infecção no primeiro trimestre gestacional e com atrofia acentuada do parênquima cerebral apresentaram redução acentuada do escore-z do PC nos primeiros anos de vida.

Eixo Temático
  • Epidemiologia da saúde da criança