A volta do Linha Direta e a (re)configuração narrativa do programa de tevê

Vol. 21, 2023 - 165336
Sessão Coordenada
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Quais sentidos são produzidos na retomada do Linha Direta, programa policial da TV Globo? Buscamos analisar as motivações e proposições do programa, após 16 anos fora do ar. As reflexões são alinhavadas problematizando uma possível “nova” proposta de falar sobre violência, crime, justiça e impunidade. Selecionamos o primeiro episódio apresentado, o sequestro de Eloá Pimentel, ocorrido em 2008, que culminou com a morte da adolescente. Tratando-se de um produto que utiliza da técnica jornalística, recorremos à análise narrativa de Motta (2013), entendendo que a narrativa jornalística é um tipo de conhecimento que está para além do relato, pois busca nas suas incursões uma compreensão do mundo em sua complexidade. A retomada do Linha Direta é uma tentativa da emissora de se reconectar com a audiência. Supomos que a escolha do sequestro de Eloá teve a finalidade de atrair o telespectador, pois o acontecimento ainda provoca disputas narrativas sobre o desfecho trágico.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Instituições
  • 1 Universidade Federal do Pará / Instituto de Letras e Comunicação / Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia
Eixo Temático
  • RENAMI - JORNALISMO LITERÁRIO: da TV às comunidades ribeirinhas, do fotojornalismo aos quadrinhos, do ensino à política
Palavras-chave
Análise Narrativa; caso Eloá; Linha Direta; Televisão; Renami