Favoritar este trabalho

INTRODUÇÃO: No tratamento de doenças crônicas como Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), a manutenção de hábitos de vida saudáveis tem tanta importância quanto o tratamento farmacológico. Essa importância é muitas vezes negligenciada pelos pacientes, por uma série de motivos. OBJETIVO: Estimular a educação dos pacientes portadores de HAS quanto à importância da manutenção de hábitos saudáveis no controle de sua doença. METODOLOGIA: “Fator de Risco” é um jogo de cartas desenvolvido por estudantes de Medicina, no contexto da ESF, e envolve a eliminação de cartas de baixo valor para obtenção da vitória. É uma tecnologia leve: um instrumento pedagógico crítico-reflexivo com a mediação do aspecto lúdico como forma de ampliar o conhecimento. As regras do jogo foram baseadas no jogo “Presidente”, e as cartas foram alteradas para representar alguns hábitos e condições de piora clínica de HAS, como ingesta de sódio, sedentarismo, tabagismo, etc. As cartas de valores baixos ilustram condições e hábitos controláveis pelo paciente, e a eliminação de tais cartas determina a vitória no jogo. As regras do jogo são facilmente assimiladas pelos pacientes, portanto, “Fator de Risco” pode ser utilizado em quaisquer momentos recreativos, atividades comunitárias e ações das equipes de saúde, como grupos de idosos e de hipertensos. As cartas podem ser confeccionadas em qualquer tipo de papel, e o baralho pode ser adaptado para outras patologias, como por exemplo o Diabetes, requerendo apenas que as cartas sejam alteradas, mas mantendo as regras. DISCUSSÃO: A médio e longo prazo, espera-se que o paciente associe hábitos como etilismo e tabagismo, por exemplo, a prejuízos à sua saúde, e à manutenção de sua doença crônica. CONCLUSÃO: Conclui-se que um instrumento capaz de associar temas de prevenção terciária a momentos de lazer é muito mais eficiente na retenção dos conteúdos, e principalmente, na aplicação destes conteúdos ao cotidiano do paciente.