81758

Capacitação em auriculoterapia para técnicos de enfermagem em Sao Bernardo do Campo-SP

Favoritar este trabalho

Introdução: A auriculoterapia tem na atenção primária em saúde (APS) um cenário privilegiado para a sua realização, considerando o baixo custo, a facilidade de realização, além de amplas possibilidades de aplicação. As Práticas Integrativas e Complementares (PIC) e a Educação Permanente fazem parte do Currículo Baseado em Competências da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, devendo portanto ser incorporadas a formação dos especialistas na área. Metodologia: Relato de experiência de oficina realizada em uma unidade-escola de Sao Bernardo do Campo, conduzida por Residente de Medicina de Família e Comunidade (MFC) com formação em auriculoterapia para profissionais de nível médio também com formação prévia. A preparação da atividade incluiu discussão com a preceptoria da do Programa de Residência Médica em MFC, articulação com a gestão local para uso do espaço e utilização da matriz de intervenção do curso EURACT N2 para planejamento da atividade. Resultados: Ofertou-se oficina de capacitação com carga horária de duas horas, pautada em oferta teórica e treinamento prático de auriculoterapia. Os conteúdos da capacitação incluíram: a anatomia da orelha, as principais alterações observáveis em seu exame, materiais utilizados para a realização da auriculoterapia, fichas de avaliação dos pacientes, princípios básicos de auriculoterapia baseada em Medicina Tradicional Chinesa (MTC), reflexologia e biomedicina e casos clínicos com queixas comuns encontradas na APS. Conclusão: Para aumentar a oferta de PIC a população, é importante que os profissionais capacitados identifiquem em seus serviços profissionais interessados em aprender e realizar no serviço atendimentos em PIC. Constitui-se em experiência rica para a formação do especialista em Medicina de Família e Comunidade o engajamento em atividades de educação permanente que visem a melhoria dos serviços.