81728

Avaliação do escolar em sofrimento mental no Programa Saúde na Escola

Favoritar este trabalho

Introdução: O Acesso é o atributo da Atenção Primária à Saúde (APS) com pior avaliação no Brasil e a população em idade escolar é frequentemente esquecida nas ações programáticas. O Programa Saúde na Escola (PSE) é uma resposta a essa situação, no entanto, grande ênfase é dada às ações de rastreamento físico, em detrimento da avaliação psicossocial. Objetivo: Desenvolver um modelo de avaliação da criança em idade escolar com sofrimento mental pelo Médico de Família e Comunidade (MFC), no contexto da APS e do PSE. Método: Em maio de 2017, o MFC e uma médica residente em MFC da Estratégia Saúde da Família Santa Cecília 1, a Orientadora Educacional e a Diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental São Francisco de Assis, de Porto Alegre, iniciaram avaliações conjuntas periódicas de alunos e suas famílias, identificados pela escola a partir de alterações de comportamento ou de aprendizagem. Em 4 meses, foram avaliados 10 alunos e suas famílias em 17 encontros, durante 07 visitas do MFC à escola, quanto ao sofrimento psíquico, a situação familiar, a rede de apoio e de serviços de referência da família. Discussão: A atuação comunitária do MFC na Escola é menos reconhecida, ainda que intervenções em idade mais precoce, possam ser mais resolutivas, evitando o agravamento do adoecimento mental e a evasão escolar. Em nossa experiência, a visita do MFC em parceria com os profissionais da Educação, permite aos alunos o acesso a um atendimento com forte orientação familiar e integral, tornando o PSE mais efetivo. Conclusão: O atendimento de jovens em sofrimento mental pelo MFC na Escola fortalece a orientação do PSE aos atributos da APS, notadamente o Acesso, a Integralidade, a Orientação Familiar e Comunitária.