81723

Avaliação de risco cardiovascular em hipertensos de uma microárea de Blumenau-SC

Favoritar este trabalho

Durante o estágio do internato médico da Universidade Regional de Blumenau, dentro da disciplina de Medicina da Família e Comunidade em uma ESF, verificou-se a grande prevalência de pacientes hipertensos na comunidade que não possuem o seu risco cardiovascular estratificado. O objetivo deste trabalho é relatar a experiência dos alunos pertencentes à nona fase do internato de Medicina na unidade de saúde Áurea Pfeutzenreiter no cuidado à hipertensão arterial em Blumenau-SC. Relato de experiência em que foi utilizado o Escore de Risco de Framinghampara avaliar o risco cardiovascular dos pacientes portadores de hipertensão arterial sistêmica de uma microárea da ESF no ano de 2017. O Escore de Framingham estratifica o risco de eventos coronarianos em 10 anos e utiliza os seguintes critérios para obter o valor da estratificação: sexo, idade (anos), colesterol total (mg/dL), HDL (mg/dL), pressão arterial sistólica (mmHg), diabetes e tabagismo.Os dados foram coletados a partir dos prontuários eletrônicos dos pacientes e analisados através do programa Microsoft Excel. A microárea apresenta 85pacientes hipertensos, destes 22 (25,88%)já possuíam o escore de Framingham calculado. A média de risco encontrada foi de 16,68%, podendo ser classificada em risco moderado.37 pacientes ainda não possuíam o escore registrado em prontuário, estão em fase de conclusão dos exames laboratoriais e26eram diabéticos, sendo recomendado o cálculo de risco cardiovascular através da calculadora do UKPDS. Essa estratificação de risco permite o planejamento do melhor cuidado aos hipertensos na Atenção Primária, propiciando que seja realizado o acompanhamento desses pacientes crônicos da maneira mais adequada possível, esperando diminuir a morbidade e mortalidade relacionada à doença.