81682

Atenção Primária à Saúde e Direitos Humanos: análise de uma atividade extensionista

Favoritar este trabalho

Introdução: Este trabalho trata de uma discussão sobre dois casos acompanhados na Atenção Primária durante o estágio curricular do curso de Medicina no tangente aos conceitos de Atenção Primária à Saúde (APS) e suas intersecções com o descrito na Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH). Metodologia: Sua elaboração dá-se pela crença de os preceitos e diretrizes da APS serem ferramentas essenciais para possibilitar um existir ao usuário de acordo com o pregado pela DUDH. Para tanto, utilizou-se uma abordagem qualitativa em uma série de dois relatos de casos obtidos a partir da vivência de estágio trimestral de dois alunos de Medicina em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) Escola vinculada à Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Discussão: a partir do Caso 1, tratando de um indivíduo com patologias crônicas e com longa relação com a unidade de saúde, e o Caso 2, sendo uma gestante não devidamente acolhida pelo serviço de saúde, pode-se analisar elementos tais como uma atenção longitudinal, parcialmente integral e multidisciplinar, além de ferramentas como a busca ativa dos usuários adscritos e a atenção centrado no indivíduo. Assim, notou-se intervenções benéficas aos usuários, ao encontro do pregado pelo vigésimo quinto artigo da DUDH, tendo toda a pessoa direito ao bem-estar e saúde, assim como tendo a maternidade direito a ajuda e assistência especiais. Conclusão: Após apresentação, exposição da evolução e discussão dos casos, conclui-se que as experiências aplicaram os princípios da APS, de forma a proporcionar um cuidado integral, multiprofissional e qualificado aos pacientes, apesar de alguns entraves logísticos.