A IMPORTÂNCIA DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NA CARACTERIZAÇÃO DE ALTERAÇÕES ESTRUTURAIS ENCEFÁLICAS NA NEUROSSÍFILIS

Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Detalhes
  • Tipo de apresentação: Trabalho
  • Eixo temático: BIOLÓGICAS
  • Palavras chaves: NEUROSSÍFILIS; RESSONÂNCIA MAGNÉTICA; ENCÉFALO;
  • 1 Unicamp

A IMPORTÂNCIA DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NA CARACTERIZAÇÃO DE ALTERAÇÕES ESTRUTURAIS ENCEFÁLICAS NA NEUROSSÍFILIS

IGOR AUGUSTO COCIELLI GONÇALVES

UNICAMP

Resumo

A sífilis é uma infecção sexualmente e verticalmente transmitida (IST) causada pela espiroqueta Treponema pallidum subespécie pallidum (ordem Spirochaetales), sendo que o T. pallidum é um patógeno humano obrigatório. A incidência da doença aumentou em 2001-2013, atingindo uma taxa de 17,9 casos por 100.000 pessoas. O diagnóstico definitivo de sífilis ocorre através de exames laboratoriais, como detecção direta de T. pallidum por inoculação animal, microscopia de campo escuro e DFA-TP ou sorologia, como testes não treponêmicos (lâmina VDRL, USR, RPR círculo de 18 mm cartão e a CONFIANÇA). As principais síndromes compreendem neurossífilis sintomática: meningite sifilítica, sífilis vascular e parenquimatosa. Devido ao aumento da taxa de infecção de pacientes com HIV, o número de casos de sífilis (primária, secundária, terciária e tardia) aumentaram, por conta da coinfecção das duas doenças num mesmo indivíduo, ou seja, a morbidade e a frequência do aparecimento de novos casos de sífilis aumentaram. O objetivo será analisar as alterações observadas à ressonância magnética (RM) de encéfalo e/ou medula, em pacientes com diagnóstico sorológico confirmado da doença através da revisão dos exames de RM de pacientes que apresentarem infecção do SNC por sífilis, confirmada por critério laboratorial (sorologia). O acometimento do SNC pela sífilis, ou seja, a neurossífilis pode ocorrer nas fases primária, secundária e terciária da doença.

Apoio/Financiamento da Pesquisa: PIBIC/CNPq

Questões (1 tópico)

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Autor

IGOR AUGUSTO COCIELLI GONÇALVES

Primeiramente gostaria de agradecer as sugestões.

Segundamente, há alguns fatores já estabelecidos, como menor uso de preservativos. E, no atual momento com o fornecimento de terapias de PREP (algumas pessoas sentem-se mais confortáveis com relações sem preservativos, já que com a PREP há baixo risco de contrair HIV, contudo, existem outras doenças, dentre as quais a sífilis, que circulam entre a população sexualmente ativa. 

Os critérios da seleção da amostra foram pacientes com diagnóstico laboratorial de neurossífilis e que realizaram exame de ressonância magnética. 

O avaliador das imagens de RM foi um neurorradiologista com 20 anos de experiência em neuroimagem.

Na minha opinião, como vimos pacientes com diagnósticos recentes de sífilis, e envolvimento do SNC, o ideal seria realizar RM para todos os
pacientes com diagnostico de sífilis.

Certamente, o impacto foi grande, pois não houve vários ambulatórios nos quais se atendiam estes pacientes. Do mesmo modo, é previsível que posteriormente, devam vir mais novos casos e em estágios mais avançados da doença.

FERNANDA COELHO SILVA

Olá, Igor, muito obrigada pelas suas respostas!