EPIDEMIOLOGICAL, CLINICAL AND VEGF-KDR POLYMORPHISMS PROFILES IN PATIENTS WITH OSTEOSARCOMA

Vol 1, 2020 - 131264
Iniciação Científica
Favorite this paper
How to cite this paper?
Abstract

INTRODUCTION AND OBJECTIVE: Osteosarcoma is a rare, malignant, primary bone tumor and usually affects long bones. There are two peaks in the incidence of this pathology, the first being in childhood and youth and the second, between the fifth and sixth decade of life; in childhood, the incidence is higher in females, and after 10 years, males are usually the most affected. It can be classified according to The Musculoskeletal Tumor Society (MSTS), which concisely classifies the prognostic factors; histologically, according to the dominant element present in the tumor; and it can also be classified using the Huvos Grade which categorizes the response to chemotherapy. It is already known that vascular endothelial growth factor (VEGF) is one of the major proangiogenic factors, and polymorphisms in the VEGF gene and its receptors (KDR) may influence tumor development. Thus, the aim of this study was to make an epidemiological, clinical and genetic profile (polymorphisms in VEGF-KDR genes) of patients with osteosarcoma. MATERIAL AND METHOD: The Human Research Ethics Committee of INTO approved this case study (17373613.8.0000.5273). Forty-eight patients diagnosed with osteosarcoma were recruited and analyzed as for age, sex, body-mass index (BMI), height, type of bone affected, metastasis, recurrence, histological classification, Huvos grade, MSTS classification and frequency of the VEGF-KDR polymorphisms. A genotyping of VEGF and KDR polymorphisms was performed using the TaqMan system. RESULTS AND CONCLUSION: The age of the cases was 20.04±10.14 years, either most frequent (58%) in the age group from 15 to 29 years old. Twenty-seven (56%) of the cases were female and the anthropometric characteristics such as BMI and height were 21.61±4.32 kg/m2 and 1.63±0.14 cm, respectively. Regarding the clinical features of the study population, 44 (92%) showed tumor location in long bones (67% femur, 17% tibia, 4% fibula and 4% humerus), 7 (15%) have metastasis, 35 (73%) have absence of recurrence, 15 (31%) presented MSTS classification as stage II B and histological classification as osteoblastic or chondroblastic (15% and 6%, respectively). In addition, among 23 cases who underwent chemotherapy were predominate the Huvos Grades III and I (27% and 6%, respectively). Variant alleles frequencies of the VEGF (1154G>A, 2578C>A, 460G>C, 405G>C, 936C>T) polymorphisms were 17.5%, 42.5%, 45%, 37.5% and 12.5%, respectively. While the variant alleles frequencies of the KDR 604T>C, 1192 C>T, 1719T>A polymorphisms were 52.5%, 25% and 15.8%, respectively. It is becoming increasingly important to derive data from different populations to build a database which can then be used in future investigations to a better understanding of the genetic, epidemiological, clinical and environmental factors affecting risk to development osteosarcoma, beyond to promote an individualized therapy, contributing to the reduction of recurrences and metastases.

Questions (2 topics)

Share your ideas or questions with the authors!

Did you know that the greatest stimulus in scientific and cultural development is curiosity? Leave your questions or suggestions to the author!

Sign in to interact

Have a question or suggestion? Share your feedback with the authors!

Author

JADE PIRES NASCIMENTO

Boa tarde, Bruno! Muito obrigada pela parabenização e pelas perguntas!Acredito que para a maior parte das suas perguntas seria necessária realização de um estudo caso-controle, uma vez que neste trabalho foi somente realizado um estudo de série de casos. Mas felizmente, está em andamento a realização de um artigo do tipo caso-controle, com a minha colaboração e de outros autores. Para que assim possamos fazer associações.1) Para responder a esta pergunta eu precisaria realizar um trabalho comparativo (caso-controle), uma vez que somente com as informações de frequência do trabalho atual eu só consigo relatá-las e compará-las com as da literatura.2) Através da comparação realizada entre a literatura de outros países e população de pacientes tratados no INTO, eu pude observar que a frequência dos alelos nos polimorfismos KDR -604 T>C e KDR 1192 C>T, foi maior em alelos selvagens. Mas será necessário buscar mais artigos estrangeiros e brasileiros para poder fazer essa comparação.3) Acredito que quando perguntou sobre alguma “correlação entre uma das alterações descritas” estava se referindo aos polimorfismos e características clínicas. Em breve, poderei fazer essa correlação, com o prosseguimento do artigo que participo da execução como mencionado anteriormente.Mais uma vez, muito obrigada pelas suas perguntas, foram fundamentais para crescimento profissional e até mesmo pessoal. Abraço!

Bruno Ricardo Barreto Pires

Obrigado, Jade! Voce respondeu bem a todas as perguntas. Mais uma vez, parabens pelo trabalho.
Author

JADE PIRES NASCIMENTO

Boa tarde Bruna! Muito obrigada pela parabenização e pelas suas perguntas, seguem minhas respostas:1) Estou inserida no projeto a aproximadamente 2 anos. Mesmo com a minha entrada no projeto depois de seu início, eu participei de todas as etapas de obtenção destes dados (recrutamento de sujeitos, extração do material genético e genotipagem), bem como elaboração das frequências e médias relatadas no trabalho (esse trab. faz parte de um projeto maior, que recruta pacientes com tumores ósseos tratados no INTO. Aprendi e continuo aprendendo sobre os “bastidores” da pesquisa científica, como ser pesquisador é um trabalho de muita perseverança e como se faz necessário o aumento de número de estudos que envolvam o osteossarcoma, principalmente dentro do país, uma vez que essa é uma doença rara e com baixa taxa de sobrevida.2) A motivação da escolha destes polimorfismos está relacionada com a existência de estudos relatando que polimorfismos no gene que codifica o fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) e do gene que codifica o seu receptor (KDR), estão relacionados ao desenvolvimento de alguns tipos de cânceres. Essa correlação será realizada em breve, através da execução de artigo com minha colaboração.3) Huvos Grade, ou em português, Índice de Huvos, é um tipo de classificação realizada através da avaliação da peça cirúrgica após a quimioterapia pré-operatória (neoadjuvante). Essa classificação categoriza o grau de necrose tumoral após a quimioterapia, que pode ser Grau I (sem efeito da quimioterapia); Grau II (resposta parcial à quimioterapia com mais de 50% de necrose tumoral); Grau III (tumor viável presente com mais de 90% de necrose) e Grau IV (sem tumor viável). A partir disso é possível realizar um possível prognóstico do paciente.

Juliana Cazarin de Menezes

Obrigada pelas respostas, Jade. Fico feliz que você tenha participado de todas as etapas do estudo. Muito sucesso para você e para o seu grupo no seguimento do projeto.
Institutions
  • 1 Centro Universitário Estadual da Zona Oeste
  • 2 National Institute of Traumatology and Orthopaedics
  • 3 Public Health and Environment / Fiocruz / Sergio Arouca National School of Public Health
Keywords
Bone tumors
Osteosarcoma
angiogenesis
Polymorphisms