33645

ACOMPANHAMENTO CINÉTICO DA HIDRÓLISE ENZIMÁTICA DE CELULOSE DA PALMA FORRAGEIRA (Opuntiaficus-indica Mill)

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

A comunidade científica vem buscando alternativas para as questões energéticas devido aos problemas geopolíticos e da poluição ambiental provocada pelo petróleo. As pesquisas atuais mostram como tecnologia alternativa a produção de etanol de segunda geração a partir de materiais lignocelulósicos. A palma forrageira é um material lignocelulósico, sendo assim, uma alternativa para produção de bioetanol nas regiões áridas e semi-áridas do Nordeste brasileiro devido apresentar teor de carboidratos que podem ser degradados em açúcares fermentescíveis. Neste contexto, o objetivo desse trabalho foi estudar o processo de hidrólise enzimática utilizando-se do cladódio da palma forrageira. Por meio da caracterização da palma forrageira observou-se baixo percentual de hemicelulose (10,88%) e lignina (3,36%), dispensando-se, dessa forma, a etapa de pré-tratamento. Foi realizada a hidrólise enzimática visando a conversão da celulose em glicose utilizando-se como ferramenta um planejamento fatorial 22 onde se verificou a influência das variáveis de entrada (carga enzimática e relação massa seca de palma/volume do extrato enzimático) sobre a resposta (rendimento da hidrólise) e, para cada experimento, foi realizada uma cinética para verificar qual o melhor tempo reacional para este processo. Os resultados obtidos mostraram significância, a nível de 95 % de confiança, onde operando-se em 24 horas de hidrólise com carga enzimática de 25 FPU/g e relação massa seca/extrato enzimático 2%, obtém-se rendimentos de aproximadamente 70%.