59883

Uso de imagens do RapidEye e técnicas de geoprocessamento para mapear o babaçu nas regiões central e norte do Piauí

Favorite this paper

Uso de imagens do RapidEye e técnicas de geoprocessamento para mapear o babaçu nas regiões central e norte do Piauí Esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de realizar o mapeamento da distribuição espacial do babaçu nos municípios de maior produção de amêndoas nas regiões centro e norte do estado do Piauí, Brasil. Foram utilizadas cenas do satélite RapidEye, cujos processos de segmentação e classificação foram realizados no software eCognition e, em seguida, procedeu-se uma reclassificação manual no módulo ArcMap do ArcGis, apoiado por imagens do GoogleEarth Pro. O levantamento dos dados de localização dos babaçuais foi realizado utilizando equipamentos GPS de navegação com precisão de 10 metros. A utilização da metodologia de processamento digital de imagens para a identificação da distribuição espacial do babaçu apresentou alguns problemas, tanto no que se refere a qualidade e disponibilidade das imagens, como pela dificuldade de identificação do babaçu devido a ocorrência de outras palmeiras com grande semelhança de resposta espectral. A área total mapeada foi de 18.844,12 km2, que corresponde aos vinte e cinco municípios que apresentaram maior produção média entre os anos de 2006 e 2013, estabelecendo-se um valor mínimo de cinco toneladas de amêndoas. A área classificada como babaçu foi de 2.680,80 km2, representando 14,23% da área de todos os municípios mapeados.