53093

A SAÚDE MENTAL DOS PAIS E O ENVOLVIMENTO DE ESTUDANTES EM SITUAÇÕES DE BULLYING ESCOLAR NO ESTADO DA ARTE

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

Introdução: O bullying é um problema de saúde pública que afeta crianças e adolescentes em idade escolar. No Brasil, os estudos sobre a temática se concentram no diagnóstico e índices de prevalência, bem como nas características do fenômeno nas escolas. Poucas investigações incluem outras variáveis, como a família, na abordagem do bullying. Objetivo: Conhecer as relações entre o contexto familiar e o envolvimento de estudantes em situações de bullying indicadas na literatura científica. Método: Foram consultadas as bases de dados Web of Science, PsycoInfo, PubMed, Lilacs e a biblioteca virtual SciELO, utilizando nas buscas os termos bullying, família e pais. Atenderam aos critérios de seleção e elegibilidade 61 artigos publicados entre os anos 2009 e 2013. Resultados: No período delimitado para a revisão foram localizados apenas dois estudos brasileiros que abordavam a violência doméstica testemunhada em relação com a ocorrência de bullying. No conjunto, evidenciou-se que as experiências dos estudantes em situações de bullying são multifacetadas e possuem relações as experiências na família (violências, práticas parentais inadequadas, clima e tipo de arranjo familiar). Sete estudos associaram, em alguma medida, a saúde mental dos pais (depressão, ansiedade, abuso de álcool e outras drogas, por exemplo) em associação com a ocorrência do bullying. Essas pesquisas identificaram que a saúde mental dos pais interfere na interação entre pais e filhos e, consequentemente, afeta a qualidade do relacionamento dos filhos com os colegas. O histórico de comprometimento da saúde mental dos pais, ainda, foi mais associado com relatos de maus tratos no ambiente doméstico pelos estudantes, tipo de experiência que também se relaciona com a ocorrência do bullying. Conclusão: Os resultados revisados sugerem que o contexto familiar deve ser considerado na abordagem do bullying e na definição de programas de intervenção. Entrementes, no que se refere à saúde mental dos pais, os resultados precisam ser avaliados com cautela considerando-se limitações relacionadas aos métodos ou mesmo aos instrumentos de coleta de dados adotados nas pesquisas e que podem ter interferido nos resultados. Além disso, reconhece-se que tanto o bullying quanto a saúde mental são variáveis complexas. Uma abordagem de associação mais aprofundada entre elas é de difícil realização e novas pesquisas são estimuladas para confirmar ou refutar as evidências revisadas, sobretudo na realidade brasileira.