98992

FISIOTERAPIA NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE DAS ATIVIDADES DE AGRICULTORES E PESCADORES EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE PARAENSE

Favoritar este trabalho

Período de Realização
O estudo foi realizado durante os meses de novembro e dezembro de 2017.


Objeto da Experiência
Trabalhadores da agricultura/pesca de turmas da Educação para Jovens e Adultos(EJA) de duas escolas do interior do Município de Magalhães Barata - PA.


Objetivos
Traçar um perfil dos educandos acerca dos principais acometimentos a saúde durante o seu trabalho, investigando os seus níveis de conhecimento relativos ao autocuidado, com ênfase na ergonomia e a partir disso, promover ações de orientações sobre medidas de prevenção e auxílio dentro do SUS.


Metodologia
Amostragem composta por 27 adultos que são cursistas do EJA, nas escolas EEEF Lameira Bittencourt e EEEF Manoel Sabino. Dentro da carga horária da disciplina de biologia, os alunos preencheram um questionário para traçar o perfil dos mesmos, e partir deste foi desenvolvido um folder orientativo. Posteriormente, foram realizados debates de educação em saúde, ocasião em que os participantes puderam esclarecer dúvidas e socializar experiências. O estudo seguiu a Resolução nº 466 de dezembro 2012.


Resultados
A principal atividade executada é a agricultura. As dores são mais comuns logo após a atividade de trabalho e a maioria não faz nada para passar a dor ou apenas massagem no local, sendo o principal local acometido a coluna. Acreditam que as condições de trabalho não oferecem uma boa qualidade de vida devido demandar extremo esforço físico e consideram que o número de horas trabalhadas afeta sua saúde apenas fisicamente e não tem conhecimento de doenças que estão relacionadas ao trabalho.


Análise Crítica
A maioria dos participantes da pesquisa não associa as suas atividades de trabalho aos danos mentais e físicos destas a longo prazo, considerando que quando existem riscos estes estão associados a cortes, animais peçonhentos e desenvolvimento de problemas posturais imediatos. Ademais, poucos participantes ouviram falar de ergonomia e de doenças relacionadas ao trabalho, bem como, não tiveram acesso a orientações preventivas e nem da sucessão de procedimentos a que tem direito dentro do SUS.


Conclusões e/ou Recomendações
Os dados evidenciaram a importância de ações de educação em saúde, em especial por mostrar que os participantes não tinham conhecimento das seguintes questões: o que fazer para não ficar doente e caso doente que medidas tomar? Haja vista os dados evidenciarem desconhecimento sobre a prevenção de doenças e as formas adequadas de execução de seu trabalho. Além de desinformação quanto à sequência de atendimentos a que tem direito no âmbito do SUS.