Favoritar este trabalho

Período de Realização
De junho de 2016 a fevereiro de 2017.


Objeto da Experiência
Implementação de oficinas de educação profissional para melhorar a atenção à diabetes mellitus tipo 2 (DM2) na atenção básica (AB).


Objetivos
Para melhorar a atenção à DM2 no município de Franco da Rocha, foram realizadas oficinas de educação com os profissionais da atenção básica. Este trabalho relata o planejamento, realização e posterior avaliação inicial da intervenção executada para atender às necessidades locais.


Metodologia
Tendo a DM2 como problema de saúde prioritário, o Instituto de Saúde elaborou uma síntese de evidências para identificar opções para lidar com a doença. Após diálogo com gestores e profissionais do município, foram selecionadas as melhores opções para aquele momento. A partir delas, realizou-se um levantamento de dados primários nos serviços de AB sobre as principais dificuldades dos profissionais no manejo da DM2. Nesse contexto, desenhou-se a intervenção, que foi posteriormente avaliada.


Resultados
O alinhamento das propostas com os gestores municipais levou à realização de três oficinas de educação com os profissionais de saúde, distribuídas num mês. Foram planejadas com os objetivos de promover vivência num modelo de grupo não verticalizado (alternativo ao padrão existente) e fornecer instrumentos práticos e conceituais para aprimorar a atenção à DM2. Participaram 21 profissionais, debatendo os temas: promoção da saúde em grupos, autocuidado apoiado e estratificação de risco.


Análise Crítica
A construção das oficinas a partir das perspectivas dos trabalhadores sobre seu processo de trabalho permitiu a significação da dinâmica proposta. A avaliação das oficinas (realizada logo após e dois meses depois) indicou como aspectos mais valorizados: a organização da oficina, permitindo a circulação de saberes e experiências entre todos; e a oportunidade de formação envolvendo DM2 e o trabalho com grupos. Os entrevistados apontaram a necessidade de mais espaços para discussão de sua prática.


Conclusões e/ou Recomendações
A avaliação dos trabalhadores revelou carência de debate sobre trabalho com grupos, técnica de uso corrente em serviços de AB, bem como expressou demanda por mais atividades formativas em moldes horizontais e participativos. A experiência reforça a potência do trabalho em parceria de gestores e pesquisadores, utilizando evidências científicas de qualidade para informar melhor a gestão na construção democrática do sistema de saúde.