99972

CONTEXTO SOCIOCULTURAL E HÁBITOS ALIMENTARES DE MÃES E ADOLESCENTES DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, ESTADO DE SÃO PAULO

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

Apresentação/Introdução
O comportamento alimentar do indivíduo resulta de decisões, conscientes ou não, relacionadas à cultura alimentar de sua região, à tradição alimentar de seu convívio social e às transformações decorridas do acesso à informação científica e popular.


Objetivos
Analisar a alimentação de mães e adolescentes sob a perspectiva sociocultural de famílias com origem campesina ou urbana.


Metodologia
Estudo qualitativo, realizado em 2014 e 2015, com mães e adolescentes do 6º ano do ensino fundamental municipal, residentes na zona urbana de São José dos Campos, estado de São Paulo. Dados sobre percepção, conhecimento, comportamento e barreiras relacionados à alimentação dos adolescentes foram produzidos a partir de 4 grupos focais com 6 estudantes cada. Entrevistas semiestruturadas foram realizadas com mães (origem campesina ou urbana) de estudantes para verificar a relação entre alimentação da família e formação de práticas e comportamentos alimentares dos filhos. Os discursos foram registrados, transcritos e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo temática.


Resultados
Participaram do estudo 24 adolescentes e 15 mães. Verificou-se que mães de origem campesina ingeriam mais alimentos in natura do que industrializados, comparadas com mães urbanas. Em relação aos adolescentes, independentemente da origem, não houve participação significativa de alimentos in natura na dieta. Entre as mães campesinas, o cultivo de horta ou criação de animais, e o difícil acesso aos alimentos industrializados à época, contribuíram para formação de seus hábitos alimentares, que se mantêm parcialmente preservados. Segundo os adolescentes, o gosto ruim dos alimentos in natura contribui para sua rejeição.


Conclusões/Considerações
Verificou-se que o meio ao qual estão inseridos os indivíduos pode influenciar na alimentação de mães e adolescentes, ainda que preservados os oriundos de outro contexto. Facilidade no acesso aos alimentos industrializados, condição socioeconômica, rotina diária, conhecimento sobre técnicas diversificadas de preparo de hortaliças, além de educação sobre alimentação e nutrição, são fatores atuantes na formação de hábitos alimentares.