101738

ANALISANDO O PERFIL DA DEMANDA ESPONT NEA NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UM OLHAR EPIDEMIOLÓGICO SOBRE UMA EQUIPE NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO.

Favoritar este trabalho

Apresentação/Introdução
A Estratégia de Saúde da Família propõe que o nível primário de atenção, seja resolutivo. As motivações que levam o usuário a buscar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde são muito diversificados, tornando imperativo que as demandas apresentadas pela população sejam identificadas, de modo a organizar o processo e fluxos de trabalho solucionando as questões mais prevalentes.


Objetivos
Descrever o perfil da demanda espontânea de uma equipe de ESF do município do Rio de Janeiro; analisar queixas e motivos de atendimento em demanda espontânea e categorizar através da Classificação Internacional de Atenção Primária à Saúde-2.


Metodologia
Estudo documental, descritivo, exploratório e de abordagem quantitativa. Foi analisado retrospectivamente o banco de dados (prontuário eletrônico) de uma Equipe de Saúde da Família localizada em uma Unidade Básica de Saúde do município do Rio de Janeiro, tendo como recorte temporal o período entre outubro de 2016 e setembro de 2017. Os atendimentos da demanda espontânea foram agrupados de acordo com as queixas tendo como base a Classificação Internacional de Atenção Primária (CIAP-2) e a análise estatística foi possibilitada através do software Epi InfoTM.


Resultados
Foram analisados 3423 atendimentos de demanda espontânea na agenda dos profissionais de equipe mínima (dentista, enfermeira e médico). A assistência à demanda espontânea se deu principalmente através do profissional médico, que realizou 76% dos atendimentos. O maior número de atendimentos foi prestado ao sexo feminino (67%) e a faixa etária mais frequente foi a de jovens-adultos (20 a 29 anos) com 19%. Com relação às queixas, foram identificados atendimentos nos 17 capítulos propostos pela CIAP-2, além da categoria procedimentos. E 42% do total de atendimentos à demandas espontâneas estavam contemplados nesta categoria, seguido da categoria digestório com 9% e planejamento familiar com 8%.


Conclusões/Considerações
Conclui-se que a demanda espontânea na realidade estudada se desdobra, principalmente, na realização de procedimentos, além de ser médicocentrada. O cenário demonstrou que as equipes que atendem as áreas com maior risco e vulnerabilidade social, tal como a equipe estudada, têm maior número de atendimentos à demanda espontânea. A distribuição das queixas dentre os capítulos da CIAP-2 possui íntima relação com a faixa etária analisada.