69567

Gestão da clínica: um modelo de equipe centrada no paciente para além do discurso

Favorite this paper

Introdução: A constituição de equipes de alta performance para atuação na gestão da clínica no ambiente hospitalar deve ser implementada a partir de alguns princípios: criar vínculo entre as equipes; promover a horizontalidade do cuidado; tornar os processos claros e objetivos; estimular autonomia da equipe de linha de frente.Relato de experiência: Com base na observação do desempenho dos profissionais para além da sala de aula, o projeto de desenvolvimento do pensamento crítico na linha de frente foi a maneira encontrada pelos gestores para elencar os melhores profissionais da equipe que foram convidados a desenvolver o papel de supervisor de gestão da clínica. Atualmente o Hospital de Clínicas conta com três enfermeiras e uma fisioterapeuta desempenhado esta função de liderança nas enfermarias de cuidados intensivos (ECI) e unidade de terapia intensiva (UTI). Cada unidade passa a contar com este profissional responsável pelo alinhamento da equipe multidisciplinar, atuando principalmente com o médico hospitalista para construção do plano terapêutico singular transdisciplinar. À medida que estas equipes fortalecem sua capacidade de gestão, há uma horizontalização das relações de poder, e os membros da equipe poderão, progressivamente, qualificar o processo de trabalho, pois o cuidado continuado pelos mesmos profissionais oferece segurança aos pacientes, reduz a perda de informações e aumenta muito a interação entre os profissionais. O supervisor de gestão da clínica é o responsável pela visita multidisciplinar denominada "visita do Kanban?, ocorre às 11:30 simultaneamente em cada unidade assistencial, onde os profissionais se reúnem para discutir o plano terapêutico do paciente e seus fatores críticos para alta segura.Conclusão: Melhora da experiência do paciente, comunicação eficiente entre a equipe de saúde e melhor uso dos recursos hospitalares. Em todas as considerações, entendeu-se a liderança e a prática interdisciplinar como estratégias de sucesso, ganhando sentido quando envia esforços para dar respostas as novas demandas da saúde, onde é neste contexto que emergiu o modelo de equipes centradas no paciente para além do discurso.