69443

Atuação da farmácia clínica na detecção de "quase falhas" em UTI Neurológica

Favorite this paper

Introdução: Os erros relacionados a medicamentos, desde a o momento da prescrição ao aprazamento, distribuição e administração são frequentes no ambiente hospitalar. No entanto, há sub-notificação dessas ocorrências, estando diretamente relacionadas à qualidade e segurança do paciente.Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a atuação da farmácia clínica na detecção de "quase falhas? da prescrição médica em unidade de terapia intensiva neurológica.Métodos:No período de março a junho de 2016, foram avaliadas pelo farmacêutico clínico, as prescrições médicas de Unidade de Terapia Intensiva Neurológica de hospital de grande porte. Para avaliação, eram contemplados: via de administração, posologia adequada, diluições, duplicidade de prescrição do mesmo medicamento, dose e aprazamento corretos. O farmacêutico clínico realizava avaliação diária das prescrições (inclusive aos finais de semana) e participava das visitas multidisciplinares diariamente.Resultados:No período do estudo, foram avaliadas pelo farmacêutico clínico 5.401 prescrições médicas, que correspondeu a 97,44% das prescrições realizadas. Foram encontradas 104 "quase falhas?, o que correspondeu a 1,9% dos itens prescritos. Em todos os casos, houve possibilidade da correção, antes da administração ao paciente.Conclusão: O farmacêutico clínico mostrou um papel importante na gestão da qualidade e segurança no ambiente da terapia intensiva, atuando na prevenção de eventos adversos dentro da unidade.