82672

NANOPARTÍCULAS LIPÍDICAS SÓLIDAS À BASE DE CERA DE CARNAÚBA PARA USO EM TRATAMENTO CAPILAR

Favorite this paper

O Brasil é o terceiro mercado consumidor de cosméticos estando atrás apenas dos Estados Unidos e China. No ranking mundial está em segundo lugar no consumo de produtos para o cabelo. É imprescindível para a indústria cosmética a busca por produtos inovadores que atendam às necessidades dos consumidores. Nesse sentido, a cera de carnaúba, obtida das folhas da espécie Copernicia cerifera Mart, é considerada uma matéria prima importante. É uma cera natural compatível com a pele, com ação hidratante e fotoprotetora comprovadas, além de ser abundante no nordeste do Brasil. Nanopartículas lipídicas sólidas (NLS) são sistemas de interesse, visto que atuam na liberação de ativos, composto por partículas com diâmetro médio de até 500 nm. Na área cosmética, suas principais características incluem melhoria da estabilidade do produto final e aumento da permeação capilar. O objetivo deste trabalho foi desenvolver NLS à base de cera de carnaúba, contendo óleos vegetais e ativos fortalecedores da fibra capilar. O processo de obtenção das NLS consistiu em emulsificação seguida de sonicação, onde a cera juntamente com os ativos selecionados fundidos foram submetidos a uma sonda de ultrassom para diminuição das partículas. Duas formulações, F3 e F4, foram desenvolvidas variando o teor da cera, com menor e maior quantidade, respectivamente. As análises de tamanho de partícula, potencial zeta e índice de polidispesividade (IPD) foram realizadas com 1 e 165 dias de produção das NLS. Os resultados demonstram que foi possível obter as nanopartículas, os diâmetros médios obtidos foram de 199 e 194,9 nm para F3, e 354,3 e 330,3 nm para F4, nos dois períodos analisados, mostrando que o aumento do teor de cera resulta no aumento do tamanho das partículas. As curvas de distribuição de tamanho apresentaram característica unimodal. O IPD foi 0,136 e 0,151 para F3 e 0,244 e 0,292 para a F4, indicando sistemas moderadamente polidispersos. Já o valores de potencial zeta foram de -38,7 e -29,6 mV para a F3 e -42,2 e -30 mV para a F4, demostrando estabilidade das formulações. Através de análise de microscopia eletrônica de varredura, foi possível verificar o formato esférico das NLS e a análise do pH apresentou um resultado de 7,11 e 7,48 para F3 e F4. Desta forma constata-se a viabilidade do método proposto de produção das NLS à base de cera de carnaúba e sua alta estabilidade. Este trabalho teve apoio financeiro da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico.