ALGUMAS APLICAÇÕES DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR NA INDÚSTRIA DE PETRÓLEO E BIOCOMBUSTÍVEIS

Vol 3, 2022 - 154769
Palestra
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Desde a detecção do fenômeno de ressonância magnética nuclear (RMN) em 1946 por dois grupos de físicos trabalhando de forma independente, a RMN vem se difundindo na física, química, biologia e medicina. Muitas das descobertas proporcionadas pela RMN renderam aos seus usuários o prêmio Nobel nas áreas mencionadas. A versatilidade da RMN, proporcionada pelas seguintes características: 1) técnica primária “relativa” (uma grandeza expressa em unidade do Sistema Internacional de Unidades, o número de mol de uma substância em uma dada amostra, pode ser mensurada diretamente e com alta qualidade metrológica a partir de um analito de pureza conhecida); 2) sua capacidade multinuclear (cerca de dois terços dos elementos da tabela periódica são observáveis pela RMN); 3) o advento dos equipamentos mais modernos, capazes de realizar sequências de pulsos complexas com relativa praticidade; e 4) a possibilidade de análise (não destrutiva) em linha para controle de processos, sobretudo nos magnetos atuais, compactos, mais leves, mais baratos e livres de criogênicos; vem tornando esta técnica uma ferramenta analítica imprescindível para a indústria. Ao longo da apresentação serão abordadas algumas das aplicações da RMN, tanto no domínio da frequência quanto no domínio do tempo, que vêm sendo utilizadas na PETROBRAS nos últimos quinze anos.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Instituições
  • 1 Petrobras / Cenpes / Chemistry
Eixo Temático
  • 1. Palestras
Palavras-chave
Petróleo
Biocombustíveis
catalisadores