AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE: CONTRIBUIÇÃO DO TELEMONITORAMENTO EM TEMPOS DE PANDEMIA

Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Detalhes
  • Tipo de apresentação: Apresentação Oral
  • Eixo temático: 5. ATS em tempos de COVID
  • Palavras chaves: Telemonitoramento; COVID-19; Enfermagem; revisão sistemática;
  • 1 Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Por favor, faça o login para assistir o vídeo

Entrar
Resumo

Introdução: À medida que a responsabilidade do sistema de saúde pública no contexto brasileiro aumenta, os recursos se tornam cada vez mais escassos. Nesse sentido a Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) torna-se uma das ferramentas utilizadas para apoiar decisões de cobertura de tecnologias e procedimentos nos sistemas de saúde para atender a essa demanda. Diante do exposto, as emergências do sistema único de saúde brasileiro sofreram alterações tanto físicas quanto logísticas para adaptar-se a essa situação emergencial. O profissional enfermeiro atuante na linha de frente foi um protagonista no combate somados ao uso alternativo de tecnologias digitais tanto na triagem, quanto na detecção e prevenção dos impactos. Sendo assim este artigo discute a contribuição do telemonitoramento para o enfrentamento da COVID-19. Objetivo: Avaliar sistematicamente as evidências disponíveis sobre o telemonitoramento no manejo de pacientes suspeitos ou confirmados por Covid-19. Metodologia: Realizou-se uma busca sistemática nas bases Cochrane, Medline via Pubmed, Embase e Lilacs. Com base no protocolo PRISMA, o acrônimo PiCo orientou a questão do estudo: os recursos tecnológicos disponíveis funcionam como facilitadores para a prestação da assistência de enfermagem dentro do contexto pandemia covid-19? A população de interesse foram enfermeiros que atuam na emergência do SUS. Os desenhos dos estudos foram observacionais no período do ano 2020 compreendido nos meses entre janeiro até junho; de qualquer país de origem e publicados nos idiomas espanhol, inglês e português com menção à categoria da enfermagem. Resultados: Foram selecionados 16 estudos que mostraram que apesar das limitações econômicas enfrentadas em cada país na implementação da tecnologia ao Telemonitoramento foi possível o desenvolvimento de estratégias adaptadas a realidade vivida, possibilitando o desenvolvimento de protocolos e guidelines baseados nas experiências. Conclusão: Considerando a necessidade de reorganização do fluxo de trabalho, com o foco dos atendimentos para os casos da COVID-19, a telemedicina como recurso para executar a telemonitorização proporcionou otimização dos recursos humanos e materiais; proteção dos usuários de saúde e preservação das equipes e comunidades. Embora trágica, a presente situação vem lançar desafios à economia da saúde. Sendo assim esta tecnologia em saúde, demostrou uma garantia de assistência e eficácia na segurança do paciente, evitando a contaminação e transmissão do vírus.

Questões (3 tópicos)

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Autor

Marcia Rodrigues SANTOS

Bom dia, Obrigada pela contribuição em questão, devido ao limite no resumo, não foi possível descrever todo o desenho metodológico. A respeito dos critérios de inclusão a seleção: participantes profissionais da saúde, enfermeiros atuantes no cenário de atendimento de emergências no contexto covid-19, textos completos nos idiomas inglês,espanhol e português, filtrados no ano 2020 nos meses entre janeiro até junho. Os critérios de exclusão: textos duplicados, resumos simples, textos que não respondem a questão da pesquisa. Os estudos foram avaliados quanto a qualidade metodológica por uma escala GRADE e outra escala foi utilizada para o nível de evidência dos estudos incluídos- escala OXFORD A seleção do estudo foram encontradas 457 e após triagem, análise e exclusão restaram apenas 16 artigos para análise qualitativa do estudo. Atenciosamente, Marcia Santos, Enfermeira Especialista em Redes, Mestranda de Enfermagem da PPGENF, UNIRIO  

Deomara Cristina Damasceno Garcia

Obrigada, Márcia, pela resposta. Um grande prazer receber essas informações tão importantes referente a sua pesquisa. Grata!

Cássia Marques da Rocha Hoelz

Parabéns pela apresentação!
Autor

Marcia Rodrigues SANTOS

Olá,  Encontramos em 5 artigos que revelam os apontamentos de dificuldades econômicas, porém com soluções digitais incrivéis  Ao contrário do que pensa, ao encontrar países considerados classe econômica baixa, um governo  com planejamento  em desastres, já acostumados com o lema de superação, quebram as barreirar tecnológicas e com ampliação de redes sociais e parceiras com empresas de telecomunicações e a solidariedades de empresas incubadoras de tecnologias. Ao pensar que em nosso país temos ferramentas para ampliação digital.   Obrigada Marcia    
Autor

Marcia Rodrigues SANTOS

Observam-se poucas ações para a ampliação da sua utilização no Brasil, especialmente pelo SUS; Foi lançado um passo importante, no combate da pandemia, visto que este instrumento de inovação nos hospitais de campanha contra o COVID; No âmbito do SUS, observa-se uma falta de ousadia para novos avanços. Na medida em que as principais tecnologias que suportam as soluções de telemonitoramento também formam a base estrutural de outras aplicações da telemedicina. Acredito que tem potencial para progredir na construção de uma rede integral de atenção básica, contribuir para uma maior dinamização da base produtiva e inovativa nacional e induzir inovações em toda a cadeia dessa indústria emergente. Este trabalho aponta para o potencial dessa tecnologia, ao mesmo tempo em que se observa uma insuficiência na produção científica no campo específico do telemonitoramento.  Obrigada