Favoritar este trabalho

Objetivos: Identificar a ocorrência de transtornos mentais comuns (TMC) em gestantes nos segundo e terceiro trimestres gestacionais. Métodos: Estudo transversal aninhado a uma coorte com gestantes inscritas no pré-natal da atenção básica à saúde na área urbana de Cruzeiro do Sul, Acre, Brasil. O Self-Reported Questionnaire (SRQ-20), instrumento preconizado pela OMS para o rastreamento de TMC e validado para uso no Brasil, foi aplicado no segundo e no terceiro trimestres gestacionais. Os escores do SRQ-20 variam de 0 a 20, sendo escores >8 indicativos de TMC. Resultados: As gestantes apresentaram média de idade de 24,7 anos (DP=3,4) e 67,4% tinham >9 anos de escolaridade. A ocorrência de TMC no segundo trimestre foi de 36,2% (n=528) e no terceiro trimestre 24,5% (n=470). Os resultados do SRQ-20 por grupo de sintomas foram: 64,8% no segundo trimestre, e 51,5% no terceiro se sentiam nervosas, tensas ou preocupadas (grupo humor depressivo/ansioso); 59,1% referiram dores de cabeça com frequência e 42,3% sensações desagradáveis no estômago no segundo e terceiro trimestre, respectivamente (sintomas somáticos); 61,5%, no segundo trimestre, e 63,8%, no terceiro, referiram cansaço com facilidade (decréscimo de energia vital) e; 27,5% e 21,5% já tiveram o pensamento de acabar com a própria vida no segundo e terceiro trimestres, respectivamente (pensamentos depressivos). A média do escore de TMC foi de 6,4 (DP=3,7) no segundo e 5,3 (DP=3,7) no terceiro trimestres gestacionais. Conclusões: A ocorrência de TCM em gestantes é elevada no segundo e terceiro trimestres, sendo maior no segundo.