74065

FATORES SOCIOECONÔMICOS E MORTALIDADE POR SUICÍDIO POR FAIXA ETÁRIA

Favoritar este trabalho

Objetivos: Investigar a associação entre fatores socioeconômicos e as taxas de suicídio, em diferentes faixas etárias, nos municípios brasileiros. Métodos: Estudo ecológico, com dados em painel dos 5.507 municípios brasileiros, de 2000 a 2012. As taxas de suicídio foram calculadas para cada faixa etária, a nível municipal e por ano. Considerou-se a definição da Organização Mundial de Saúde (OMS) que conceitua adolescente como a faixa etária compreendida entre 10-19 anos, jovens entre 20-39 anos, adultos de 40-59 anos e idosos acima de 60 anos. Adotaram-se como variáveis independentes: Indice de Gini, renda média per capita, taxa de urbanização, baixa escolaridade, média de moradores por domicílio particular ocupado, percentual de pessoas separadas. Para análise dos dados, utilizou-se regressão binomial negativa para dados em painel com efeitos fixos. Resultados: Aumento do Índice de Gini, decréscimo da renda média per capita e baixa escolaridade foram relacionados ao aumento das taxas de suicídio de jovens (RR:1,007, IC95%: 1,002- 1,013; RR: 0,999, IC95%:0,999 - 0,999; RR:1,021, IC95%: 1,014 – 1,028, respectivamente) e adultos(RR:1,010, IC95%: 1,003 – 1,017; RR: 0, 999, IC95%: 0, 999- 0,999; RR:1,021, IC95%: 1,012- 1,029, respectivamente). Em idosos, houve associação estatisticamente significante apenas com a baixa escolaridade (RR: 1,015, IC95%: 1,003 - 1,028). Conclusões: Há variação das taxas de suicídio por faixa etária, bem como dos fatores associados, sendo os fatores socioeconômicos mais importantes nas idades economicamente ativas, sugerindo que os fatores de risco e de proteção para o suicídio podem ser diferenciados quando se considera o papel social e o curso de vida.