75558

CARACTERISTICAS DO TABAGISMO ENTRE MORADORES DA ZONA RURAL DE PELOTAS: ESTUDO DESCRITIVO

Favoritar este trabalho

Objetivo: descrever as características do tabagismo entre fumantes atuais da zona rural de Pelotas, RS. Métodos: estudo transversal de base populacional realizado em 2016. Foram aleatoriamente selecionados 24 dos 50 setores censitários que compõem os oito distritos rurais do município. Os moradores com 18 anos ou mais de idade dos domicílios selecionados eram elegíveis. Foram considerados tabagistas aqueles que fumavam um ou mais cigarros por dia há pelo menos um mês ou que haviam parado de fumar há menos de um mês. Além da prevalência de tabagismo entre homens e mulheres, foram investigados: idade de início, duração do vício, número de cigarros fumados/dia, carga tabágica e tipos de cigarros mais consumidos. Resultados: dentre os 1.519 participantes, 51,7% eram mulheres. As prevalências de tabagismo foram 21,9% nos homens e 11,6% nas mulheres. Entre homens e mulheres, respectivamente: o tabagismo iniciou em média aos 16,6 anos (dp=4,8) vs. 17,4 anos (dp=6,2); a duração média do vício foi de 30,1 anos (dp=14,2) vs. 26 anos (dp=13,3); eram consumidos, em média, 15,0 vs. 11,8 cigarros/dia, sendo que aproximadamente 39% dos homens e 24% das mulheres consumiam 20 ou mais cigarros/dia; a carga tabágica média foi 25,3 maços/ano vs. 15,9 maços/ano e o cigarro de papel enrolado à mão foi o mais consumido, tanto por homens (49,5%), quanto pelas mulheres (62,3%). Conclusões: as prevalências de tabagismo na zona rural de Pelotas foram próximas ao observado na zona urbana. Ressalta-se a preferência pelo cigarro de papel enrolado à mão como uma característica peculiar da zona rural.