Favoritar este trabalho

Objetivo: Verificar a prevalência de sobrepeso e obesidade na população do Município de São Paulo em 2003, 2008 e 2015. Métodos: Foram utilizados dados do estudo transversal de base populacional ISA-Capital 2003 (n=2144), 2008 (n=2599) e 2015 (n=3939), referentes à amostra representativa de adolescentes, adultos e idosos. Informações referentes à idade, peso e altura foram autorreferidas em entrevista domiciliar. O índice de massa corporal foi estimado dividindo o peso pela altura (kg/m2). Sobrepeso e obesidade foram definidos segundo os pontos de corte para cada faixa etária. Resultados: Em 2003, 26% (IC95%=23-29%) da população apresentou sobrepeso e 10% (IC95%=8-13%), obesidade. Em 2008, 28% (IC95%=26-30%) apresentou sobrepeso e 13% (IC95%=12-15%), obesidade. Enquanto que em 2015, 30% (IC95%=29-32%) apresentou sobrepeso e 19% (IC95%=18-21%), obesidade. Entre adolescentes, a prevalência de obesidade aumentou cinco pontos percentuais de 2003 a 2015; sendo que entre meninas passou de 3% (IC95%=1-5%) para 11% (IC95%=8-15%). O aumento da obesidade nos três anos foi observado em adultos (11%-14%-21%), com diferenças significantes entre as mulheres (9%-14%-22%). Não houve diferenças na prevalência de sobrepeso e obesidade entre idosos nesse período. Conclusão: Em 12 anos, a obesidade na população dobrou; atualmente um em cada cinco paulistanos é obeso. Além do aumento da prevalência, este estudo identificou como principais grupos de risco a população feminina e a mais jovem. Ações para esses grupos específicos são importantes para atingir a meta de 15% de obesidade entre adultos do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil.