TENDÊNCIAS DA LETALIDADE DA COVID-19 NO SUS: ANÁLISE DAS INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM 2020

Vol 2, 2021 - 141188
Pôster Eletrônico - PE20 - Epidemiologia das doenças transmissíveis - Covid-19 (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivo: Analisar as tendências e os fatores associados às taxas de letalidade da COVID-19 em internações hospitalares no SUS durante a primeira onda da pandemia em 2020. Métodos: Coorte retrospectiva de todas as internações relacionadas à COVID-19 entre as semanas epidemiológicas 10 a 40 de 2020 no SUS com base nos dados de autorizações de internação hospitalar (AIH). Foram adotados métodos de suavização de séries temporais e análises de sobrevida para avaliar as tendências da letalidade hospitalar e a probabilidade de morte de acordo com fatores como sexo, idade, etnia, comorbidades, tempo de internação e uso de UTI. Resultados: Com 398.063 internações e 86.452 (21,7%) óbitos, a letalidade hospitalar diminuiu ao longo do período, variando de 30,2% na semana 15 a 19,5% na semana 40. Essa tendência foi observada em todos os sexos, idades, grupos étnicos, tempo de internação e admissões em UTI. Hospitais de alta complexidade e internações posteriores (de julho a setembro) foram fatores de proteção independentes. Pacientes com mais de 80 anos de idade apresentaram Hazard Ratio de 8,18 (IC 95%: 7,51 a 8,91). Etnia, comorbidades e necessidade de UTI também foram associadas ao risco de morte. Embora tenha diminuído no período analisado, a letalidade hospitalar sempre foi em torno de 40-50% em pessoas que precisaram de internação na UTI. Conclusões: A letalidade hospitalar da COVID-19 diminuiu nos hospitais do SUS durante a primeira onda da pandemia em 2020. No entanto, durante todo o período, manteve-se muito alta, sugerindo a necessidade de melhorar o atendimento da COVID-19.

Eixo Temático
  • Epidemiologia das doenças transmissíveis