ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DO PRIMEIRO ANO DA PANDEMIA DE COVID-19 NO RIO DE JANEIRO

Vol 2, 2021 - 141042
Pôster Eletrônico - PE20 - Epidemiologia das doenças transmissíveis - Covid-19 (TODOS OS DIAS)
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Objetivo: descrever a evolução espaço-temporal de casos e óbitos por COVID-19 no município do Rio de Janeiro (MRJ) durante o primeiro ano da pandemia. Métodos: foi realizado um estudo ecológico cujas unidades para a análise espacial foram os bairros do MRJ. Foram calculadas as taxas de incidência (TI) e mortalidade (TM), excesso de risco, índice de Moran global (I de Moran), indicador local de associação espacial (LISA), razão de incidência padronizada (SIR) e razão de mortalidade padronizada (SMR). Resultados: foram notificados, no MRJ, 204.888 casos e 19.017 óbitos por COVID-19. O MRJ apresentou baixa TI quando comparada com o Estado do Rio de Janeiro (ERJ) e Brasil. Porém, foi observado uma alta TM, superior ao ERJ e Brasil, ao longo do primeiro ano de pandemia, com as maiores TM nos meses de maio e junho de 2020. A razão de incidência e mortalidade ajustadas encontradas para os bairros excederam, em sua maioria, as taxas observadas do MRJ ao longo do primeiro ano da pandemia. Bonsucesso e São Cristóvão foram os bairros com maiores TI e TM. Os bairros não apresentam padrão nos picos de concentração de casos e óbitos e a distribuição espacial das TM são quase o oposto da análise espacial das TI, uma vez que se concentram em áreas bem distintas do município. Conclusões: ressaltamos a necessidade de implantação de medidas mais rígidas para controle e prevenção, aumento na detecção de casos e a aceleração da campanha de imunização da COVID-19.

Eixo Temático
  • Epidemiologia das doenças transmissíveis