79473

RASURAS NA DIMENSÃO ORTOGRÁFICA DA ESCRITA INFANTIL

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

Neste trabalho, discutem-se dilemas que concernem às rasuras (apagamentos, inserções, escritas sobrepostas etc.) envolvendo registros de fonemas da Português Brasileiro. Esta pesquisa teve como objetivo examinar essas rasuras e entender possíveis conflitos vividos pelas crianças na aquisição da escrita quando lidam com a dimensão ortográfica da nossa escrita. O material utilizado compõe-se de 422 enunciados escritos por crianças da (antiga) quarta série do Ensino Fundamental. Esse material foi analisado de forma quantitativa e qualitativa. Para a análise, partiu-se dos pressupostos teóricos de Capristano (2013), Felipeto (2008), Calil (2007), Machado (2014), Machado e Capristano (2015), Capristano e Chacon (2014) e, em especial, da proposta de análise da organização interna da sílaba apresentada por Chacon (2017). Os resultados evidenciam que os diferentes tipos de rasuras são motivados por fatores distintos, dentre os quais se destacam os conflitos com a organização interna da sílaba, foco da pesquisa. Das 203 rasuras encontradas, 112 (portanto, 60%) funcionam dessa maneira. Constatou-se que existem posições na sílaba mais propensas para a emergência de rasuras: a primeira posição do ataque (88,1%) e o núcleo da rima (61,8%).