79792

A REFORMA PROTESTANTE: UMA HISTÓRIA DE ANACRONISMO

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

A Reforma Protestante do século XVI se deu com base no questionamento ao ensino Católico Romano Medieval de indulgências. Esse questionamento de cunho religioso cristão fundamentou-se eminentemente nos escritos do Apóstolo São Paulo. Os Reformadores interpretaram o Apóstolo combatendo adversários que seriam representantes de uma compreensão de salvação por obras, que seria própria do judaísmo. Esses adversários foram nomeados ?judaizantes?. Para os Reformadores o Catolicismo Romano de seus dias era uma expressão do judaísmo dos dias do Apóstolo. Ambos defendendo méritos salvíficos por meio de obras humanas (sistema de indulgências num caso, guarda da Lei no outro). As pesquisas históricas recentes acerca do judaísmo dos dias do Apóstolo, no entanto, demonstraram com bastante contundência que o judaísmo nunca foi uma religião de salvação por obras. A interpretação dos Reformadores, portanto, era um anacronismo histórico. Essa pesquisa teve como objetivo apontar os principais resultados da historiografia acerca do judaísmo dos dias do Apóstolo Paulo identificando a existência do anacronismo na interpretação dos Reformadores.