45557

USO DO ULTRASSOM PARA PUNÇÃO DE ACESSO VENOSO CENTRAL: UM INDICADOR DE QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE

Favorite this paper

Introdução: O uso de cateter venoso central é uma prática comum em ambiente hospitalar, utilizado para monitorização, infusão de fluidos e drogas vasoativas. No entanto, há possibilidade de complicações, tanto na sua inserção quanto em sua manutenção. Complicações comuns são, punção de artéria carótida, pneumotórax, hemotórax, tamponamento cardíaco, infecções, embolia e hidrotórax. A primeira descrição do uso de ultrassonografia para auxilio na passagem do acesso central foi feita em 1978, porém, atualmente, ainda há resistência em sua aquisição e uso. Seus benefícios para a segurança do paciente são inúmeros devendo a utilização na prática ser incentivada. Objetivos: Mensurar a utilização do ultra-som para punção venosa central em centro cirúrgico. Método: Descritivo-exploratório, retrospectivo (2014), na modalidade estudo de caso, realizado no centro cirúrgico de uma instituição hospitalar de ensino, nível quaternário e porte extra (708 leitos), localizado no interior Paulista. Este centro cirúrgico contém 26 sala de cirurgia, atendendo média de 1500 pacientes/mês e 2000 procedimentos/mês, é referencia para várias especialidades, realizando procedimentos de pequeno, médio e grande porte. Foi calculada a utilização através dos dados de uso do aparelho e do total de saídas de cateteres venosos centrais.Resultados: A média de utilização do ultra-som para passagem de cateter venoso central na instituição no período estudado foi de 43,7%, variando entre 52,4% em janeiro e 32,3% em julho. No centro cirúrgico que contém um aparelho portátil que fica disponível no setor 24 horas a média de utilização foi de 51,3% (n=618) variando entre 65,7% (n=69) no mês de setembro e 24,7% (n=21) no mês de outubro. Discussão: Pode-se citar como benefícios do uso do aparelho, permitir a realização da punção sob visão direta das estruturas vasculares, peri-vasculares e da agulha de punção, redução de complicações graves relacionada ao cateter, não é um método invasivo e nem radioativo, sua utilização é de baixo custo e resultar em incremento da segurança e satisfação do paciente e família. Conclusão: Há necessidade de incentivo do uso do ultra-som para inserção do cateter venoso central para beneficiar o paciente e promover a sua segurança. Os dados gerais da instituição são semelhantes ao do setor de estudo e sugerimos o investimento em outros equipamentos para facilitar a utilização, com base na quantidade de procedimentos. É comprovado cientificamente a eficácia dessa prática conforme o apresentado em literatura e a prática vivenciada dos pesquisadores.