45555

Tempo de permanência na SRPA: Indicador de produtividade contribuindo para a gestão do cuidado

Favorite this paper

Introdução: A Sala de Recuperação Pós Anestésica (SRPA) teve sua existência obrigatória somente em 1994 com a Portaria MS/GM nº 1.884, de 11 de novembro de 1994, e a partir da Resolução RDC nº50. Ficou instituído que essa área deve pertencer à planta física da Unidade de Centro Cirúrgico. O número de leitos de uma SRPA deve ser o número de salas cirúrgicas +1. Trata-se de uma área que oferece meios de recuperação após cirurgias, onde o paciente deverá receber cuidados durante o período de recuperação da anestesia, atendendo ao paciente com totalidade e individualidade até que recupere a consciência, as funções motoras e mantenha estáveis os sinais vitais. Objetivo: Verificar o tempo de permanência dos pacientes que são atendidos na SRPA. Método: Descritivo- exploratório, quantitativo, documental, período de Janeiro a Abril de 2016, realizado em um Hospital Escola do sudeste do Brasil, de porte extra, nível quaternário, com uma média de 922 pacientes cirúrgicos atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Resultados: Foram atendidos 3162 pacientes na SRPA, média de 790 pacientes ao mês, índice de permanência de 06 horas e 05 minutos. Desses pacientes analisados 90 ficaram aguardando leito de UTI com média de permanência de 10 horas e 21 minutos. Discussão: O tempo médio de permanência mostrou-se elevado em relação a um estudo semelhante, onde o índice de permanência foi de 4,83 horas. Isso se deve ao fator do número elevado de pacientes que permanecem na SRPA após o período cirúrgico anestésicos por falta de leito hospitalar. Em outro estudo, comparando 03 hospitais, no hospital A, com cuidados de Pós operatório imediato (POI – primeiras 24 horas) e mediato (após 24 horas) e críticos, a média de tempo de permanência é de 16 horas aproximadamente, ao passo que nos hospitais B e C a média de permanência é de 2 horas com cuidados de pacientes em POI somente. Em um estudo onde analisa somente o tempo médio de permanência de pacientes que aguardam leitos de UTI, o tempo médio é de 41,4 horas, relativamente alto se comparado ao hospital em questão onde o índice é de aproximadamente 10 horas. Conclusão: Concluiu-se que o tempo médio de permanência na SRPA é pouco acima da média, por se tratar de um hospital escola com capacidade extra, acaba por se tornar aceitável esse tempo, podemos então atentar para o treinamento do funcionário com enfoque em cuidados pós cirúrgico, em rotinas de unidades de internação e cuidados intensivos, para melhor qualidade no atendimento ao paciente.