O jornalismo como instituição democrática no Fantástico do Oito de Janeiro

Vol. 21, 2023 - 165279
Comunicações Livres
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Este artigo pretende analisar como o programa Fantástico, de Oito de Janeiro de 2023, narrou os movimentos de cunho fascista em Brasília, considerando a imagem construída sobre o ato, seus participantes e facilitadores. Volta-se à história para entender como o fascismo continua no imaginário social mesmo após a Segunda Guerra Mundial e de que forma a extrema-direita assumiu o poder do Brasil em 2018, elegendo, entre outras, a imprensa tradicional como inimiga. Por meio da Análise de Discurso, observa-se que o programa se posiciona ao lado da democracia e como uma instituição que impediu um golpe de estado, além de endossar um discurso punitivista, embora não caracterize o movimento como fascista.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Instituições
  • 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro
Eixo Temático
  • 9. Jornalismo e política
Palavras-chave
Jornalismo; Fascismo; bolsonarismo; Análise de Discurso; Fantástico