ENTRE APAGAMENTOS E INVISIBILIDADES: o jornalismo e a inserção de mulheres nos conflitos por terra na Amazônia paraense

Vol. 21, 2023 - 165463
Sessão Coordenada
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Historicamente a Amazônia Legal concentra o maior número de conflitos por terra. Em 2022, segundo a Comissão Pastoral da Terra (CPT), 59% dos conflitos se deram no território. No relatório da CPT é constatado o aumento de violências contra mulheres nos conflitos, sendo ameaça de morte (21,62%), intimidação (18,92%), e tentativa de assassinato (10,81%). No presente artigo, indagamos: como as narrativas jornalísticas apresentam a inserção de mulheres em conflitos por terra na Amazônia paraense? Tomamos como análise o assassinato de Jane Almeida, presidente da Associação de Trabalhadores Rurais Nova Vitória, com outras nove lideranças, na chacina de Pau D’Arco, ocorrida em 2017, durante ação policial. Nossa intenção é compreender os sentidos mobilizados pelo jornalismo dos portais G1, Folha de São Paulo, Diário Online (DOL) e a ação das mulheres nos conflitos.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Instituições
  • 1 Universidade Federal do Pará
Eixo Temático
  • RENAMI - Mesa Renami Narrativas jornalísticas e Midiatização
Palavras-chave
Amazônia; conflitos por terra; Mulheres; Narrativas; Jornalismo