Atravessamentos étnicos, raciais e de gênero no jornalismo alternativo: atitudes decoloniais em contraponto à objetividade jornalística

Vol. 21, 2023 - 166018
Sessão Coordenada
Favoritar este trabalho
Como citar esse trabalho?
Resumo

Este artigo busca refletir aspectos específicos que atravessam as iniciativas de jornalismo Alma Preta Jornalismo, Rádio Yandê e Revista AzMina, no que diz respeito à relação entre as questões étinico, racial e de gênero como a produção de conteúdos jornalísticos. “Suleados” pela perspectiva dos estudos decoloniais aplicados à comunicação e, a partir de uma observação transmestodológica, identificamos algumas contribuições dessas iniciativas (negras, feministas e indígenas) na construção de outros caminhos de pensar e fazer jornalismo para além dos padrões da objetividade, dos critérios de noticiabilidade e valores notícia fundamentados nas escolas europeias e norte-americana de comunicação.

Compartilhe suas ideias ou dúvidas com os autores!

Sabia que o maior estímulo no desenvolvimento científico e cultural é a curiosidade? Deixe seus questionamentos ou sugestões para o autor!

Faça login para interagir

Tem uma dúvida ou sugestão? Compartilhe seu feedback com os autores!

Instituições
  • 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ / ICA - Comunicação e Artes / Jornalismo
Eixo Temático
  • RETIJ - Processos produtivos do jornalismo
Palavras-chave
Jornalismo Negro; jornalismo indígena; Gênero; Decolonialidade; Objetividade Jornalística