44914

A Formação Matemática do Professor Primário nos Institutos de Educação de São Paulo e Rio de Janeiro (1932-1939)

Favorite this paper

A comunicação apresenta resultados parciais de dissertação de mestrado que analisa a formação do professor primário para o ensino de matemática nos Institutos de Educação do Rio de Janeiro e São Paulo na década de 1930. O objetivo da investigação, é analisar como naquele período ocorria a formação dos futuros professores do ensino primário pelos Institutos de Educação, sendo no Rio de Janeiro criado pelo decreto n. 3810 de 19/03/1932 na Reforma de Anísio Teixeira, nos moldes do Columbia University Teachers College e em São Paulo pelo decreto n. 5846 de 21/02/933 na reforma de Fernando de Azevedo, ambos posteriormente incorporados pela Universidade do Distrito Federal e Universidade de São Paulo respectivamente.
O modelo estabelecido na criação dos Institutos de Educação excluía o conteúdo de formação geral das escolas normais, substituindo-o pela exigência do curso secundário fundamental como pré-requisito para ingresso nos cursos de formação. Vale destacar que esses Institutos foram concebidos para resolver as deficiências de formação das Escolas Normais.
Pesquisas anteriores (SOUZA, 2009 e TANURI, 2000), sobre a educação brasileira no período da Escola Nova oferecem o contexto geral ao qual ela estava inserida, apresentando as relações político-educacionais em voga, os impactos causados pela nova metodologia e sua aplicação, bem como as dificuldades encontradas por professores de diversas disciplinas em colocarem em prática os novos conceitos pedagógicos, entre outros. Entretanto, praticamente inexiste, investigações específicas acerca da formação matemática dos professores primários. Valente (2010) abordou a questão da formação matemática do professor primário em um período anterior ao que o presente projeto intenta investigar.
A base teórico-metodológica da investigação apóia-se na História Cultural representada em especial por Roger Chartier, e como fontes de pesquisa serão analisados: livros didáticos, periódicos institucionais, manuais de ensino, diários de classe, exames, provas, livros de atas, programas, fichas de alunos, cadernos de classe, cadernos de exercícios, rascunhos e trabalhos escolares, todos encontrados em arquivos escolares e pessoais. Adicionalmente, a consulta de decretos, normas, leis e reformas também já estão sendo utilizadas.
A presente comunicação analisa a Matemática contida nos documentos já inventariados dos Institutos de Educação de São Paulo e Rio de Janeiro como: programas de ensino e alguns manuais constantes nas suas referências bibliográficas, periódicos institucionais, livros de atas e decretos de criação, todos encontrados em acervos dos dois estados, para a compreensão dos fatos que serão elaborados. Ao iniciar pelos documentos oficiais na intenção de compreender as práticas, analisa-se o discurso contido neles juntamente com o ideário que procurava se estabelecer e seus embates com a cultura escolar vigente.