82279

Perfil dos usuários com hipertensão e diabetes acompanhados na APS do MRJ

Favoritar este trabalho Entre em contato com os autores

As DCNTs (Doenças Crônicas Não Transmissíveis) configuram-se como uma das principais causas de morte no mundo, cerca de 68% em 2012, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). As DCNTs respondem pelo maior percentual da carga de doença no Brasil; são responsáveis por 72% dos óbitos no país e 62,5% no Município do Rio de Janeiro (MRJ), em 2014. Dentre as DCNTs, a hipertensão arterial (HA) e o diabetes mellitus (DM) apresentam maior prevalência entre a população. Segundo dados autorreferidos do Vigitel 2016, o MRJ é a capital com o maior quantitativo de indivíduos hipertensos e diabéticos do país, 31,7% e 10,4% respectivamente. Essas morbidades podem afetar a rotina e a qualidade de vida dos indivíduos acometidos principalmente se apresentarem complicações das doenças. O trabalho tem como objetivo principal descrever o perfil epidemiológico das pessoas com hipertensão e diabetes acompanhadas nas Unidades de Atenção Primária à Saúde (APS) do MRJ, individualizar os dados por área da cidade e disponibilizar relatórios que possibilitem reflexão no processo de trabalho das dez Coordenadorias Gerais de Atenção Primária na busca de qualificar o atendimento realizado. Trata-se de um estudo transversal, descritivo, a partir dos relatórios extraídos dos prontuários eletrônicos utilizados na APS. As variáveis analisadas foram: sexo, idade, número de hipertensos e diabéticos acompanhados, número de tabagistas, prática ou não de atividade física, número de diabéticos com algum acometimento e/ou amputação nos membros inferiores e número de consultas médicas e/ou de enfermagem realizadas em 2016. A cidade do Rio de Janeiro apresenta 509.601 hipertensos e 162.334 diabéticos cadastrados e com diagnóstico médico confirmado desde a implantação dos prontuários eletrônicos no RJ. A análise dos atendimentos realizados na APS às pessoas com hipertensão e diabetes é fundamental para revisão dos processos de trabalho das equipes na busca da qualidade da assistência.