82165

Metodologia de pesquisa com pessoas em situação de rua: análise de experiência

Favoritar este trabalho

De acordo com a Política Nacional para a População em Situação de Rua (PSR), instituída em 2009, a população em questão se caracteriza como um grupo heterogêneo, de extrema pobreza, com vínculos familiares debilitados, utilizando-se de espaços públicos ou abrigos para pernoite como área de moradia e sustento, seja provisória ou temporária. Assim, configuram um coletivo submetido a inúmeras situações de vulnerabilidade, especialmente relacionadas à saúde. Frequentemente, parte da PSR tem apoio do Consultório de Rua, que coleta dados básicos sobre a saúde e busca oferecer suporte necessário para sua melhoria, com o intuito de facilitar o acesso à Atenção Primária. O recente fenômeno de aparecimento dessa população, especialmente na cidade de Blumenau, fomentou a criação de um projeto de pesquisa com a PSR pelos alunos de Medicina da Universidade Regional de Blumenau. O projeto objetiva a elaboração do perfil epidemiológico da PSR da cidade de Blumenau, visto que a Secretaria Municipal de Saúde não possui dados suficientes que possibilitem o gerenciamento de intervenções através da Medicina da Família e Comunidade. A metodologia utilizada foi a aplicação de um questionário aprovado pelo Comitê de Ética, de cunho quantitativo e qualitativo, para posteriormente realizar uma análise em ambos os aspectos dessa população. Durante a composição do questionário foram levadas em consideração variáveis como tempo, espaço, comodidade do pesquisador e do pesquisado e invasão de privacidade do pesquisado. Neste trabalho será relatada a experiência de escolha e teste da metodologia, inicialmente aplicada em um morador de rua. A caracterização da PSR é capaz de trazer dados significativos tanto para a gestão municipal quanto para o meio científico, visto que os trabalhos na área da saúde ainda são restritos, especialmente no estado de Santa Catarina.