58686

A (RE)DESCOBERTA DE UM IMPORTANTE TESOURO CIENTÍFICO SOBRE OS RÉPTEIS DO RIO GRANDE DO NORTE: COLEÇÃO HERPETOLÓGICA PROFESSOR JOSÉ SANTIAGO LIMA-VERDE

Favoritar este trabalho

O zoólogo prof. Dr. José Santiago Lima-Verde foi um dos principais responsáveis pelo incremento dos estudos herpetógicos na região nordeste do Brasil. Seu legado conta com primeiros registros para o domínio Caatinga (e.g. Imantodes cenchoa e Mastigodryas boddaerti), bem como a descrição de novas espécies (e.g. o lagarto Colobosauroides cearensis e a gimnofiona Chthonerpeton arii). Especificamente entre suas contribuições sobre a fauna de répteis da Caatinga potiguar, está o trabalho intitulado "Fisioecologia e etologia das serpentes da Chapada do Apodi" de 1976, desenvolvido junto a então Escola Superior de Agricultura de Mossoró - ESAM e a descrição de Erythrolamprus mossorensis, cuja localidade-tipo é o próprio Campus da ESAM. O presente estudo visa revelar uma parte desconhecida do legado deixado pelo prof. Lima-Verde junto a ESAM, atualmente Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA, através do redescobrimento e revitalização da coleção herpetológica estabelecida por ele nesta instituição. Inicialmente, realizamos a manutenção dos recipientes que continham os espécimes fixados e conservados. Posteriormente, identificamos eles ao menor nível taxonômico possível e os tombamos na atual Coleção Herpetológica do Semiárido - CHSA da UFERSA. Com 75 indivíduos coletados a partir da década de 70, a coleção reúne 19 espécies de serpentes, cinco de lagartos e duas de anfisbenas. Entre estas, é importante salientar a ocorrência de algumas espécies raras em coleções, como E. mossoroensis e Apostolepis cearensis. A espécie mais representada na coleção é E. poecilogyrus com 11 indivíduos. Além disso, encontram-se depositados 309 ovos de sete espécies de serpentes, provenientes de desovas obtidas em cativeiro pelo prof. Lima-Verde. Esta subseção de ovos por si só reúne informações inéditas sobre a biologia reprodutiva de várias espécies ainda pouco estudadas. Por todo o exposto, essa coleção se configura como importante legado sobre a herpetofauna brasileira, constituindo uma valiosa fonte de informação sobre serpentes da Caatinga.