29483
Favorite this paper

O presente artigo faz parte das atividades desenvolvidas do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência), no primeiro semestre de dois mil e quatorze, em uma escola da região centro-oeste do estado do Paraná. O estudo visa verificar como um aluno com diagnóstico de déficit de atenção e hiperatividade é incluído no ensino comum; como se organiza o trabalho pedagógico na escola e a diferença de comportamento desse aluno nos espaços comum e especializado.
O caminho metodológico utilizado para realização da pesquisa foi: levantamento de dados bibliográficos em livros, artigos e observações in lócus, durante o primeiro semestre de dois mil e quatorze. O sujeito do estudo é um escolar matriculado no quarto ano do ensino fundamental. Os resultados e a análise dos dados foram apresentados de forma qualitativa. Os achados da pesquisa indicam que o aluno está incluído no ensino comum, porém não se integra às atividades propostas para a série. Situação diferenciada, observamos na sala de recursos multifuncionais, onde o educando realiza as atividades com disposição e interesse.
Concluímos que o educador, do ensino comum, apresenta dificuldade em trabalhar com o aluno com déficit de atenção e hiperatividade e, isso, é preocupante, uma vez que o educando precisa do preparo do professor para poder superar suas dificuldades escolares. Já o professor de apoio especializado, esforça-se para suprir as defasagens do escolar hiperativo na aprendizagem dos conteúdos.