29978

ALUNOS COM PARALISIA CEREBRAL DAS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS EM UM MUNICÍPIO DO INTERIOR PAULISTA

Favorite this paper

Alunos com algum tipo de deficiência, com transtornos globais do desenvolvimento ou e altas habilidades/superdotação devem frequentar a escola de ensino regular e também receber atendimento educacional especializado em outros momentos.
Dentro dessa população, estão os alunos com paralisia cerebral, na qual nos pautamos para a execução do projeto de pesquisa realizado nas escolas de ensino regular, com crianças que recebem o atendimento especializado nas salas de recursos multifuncionais. Para coleta de dados criamos então um roteiro de caracterização geral dos alunos acompanhados pelo projeto de pesquisa nas EMEBS (Escola Municipal de Educação Básica) e CEMEIS (Centro Municipal de Educação Infantil) de uma cidade de médio porte do interior paulista durante o primeiro semestre de 2014.
Esse roteiro foi preenchido pelas pesquisadoras, com auxílio das professoras das salas de recursos multifuncionais. Como resultados temos que a maioria dos alunos realiza outro tipo de serviço de reabilitação, faz uso de medicamentos diversificados, utiliza em sua maioria órteses de MMII.
Alguns poucos apresentam déficits visuais, auditivos ou de linguagem, alguns apresentam comportamento agressivo e a grande maioria é comunicativo, interessado e participativo nas atividades realizadas nas salas de recursos multifuncionais.
É de extrema importância a interação do aluno com a atividade que está sendo proposta, para que ele mantenha-se atento e interaja com seu trabalho, tornando o processo de aprendizado mais proveitoso para o aluno e a professora/educadora especial.